segunda-feira, 30 de julho de 2012

17/365


Não é o caso, mas é verdade.

Ja cantaria a Caren Carpenter, que "as melhores canções de amor foram escritas por um coração partido".

(do I Can Read, que sempre tem frases profundas)

16/365 - Carimbos

Acho muito legal utilizar carimbos. Inclusive, existem mais formas de se utilizar um carimbo do que a gente imagina.

E existem formas bem legais, personalizadas e alternativas de se fazer um carimbo.

Aqui vai uma, usando batatas!

domingo, 29 de julho de 2012

15/365 - Começo a entender

Quando eu era pequena, tinha aquela impressão de que ser adulto era muito chato.

Um dos motivos de pensar assim, era o fato de que meus pais (e os adultos que me cercavam) não tomavam leite com nescau, não mascavam chiclete, não comiam balas... aquelas coisas que as crianças amam, eles não faziam mais.

Não conseguia entender em que momento da vida e por qual motivo, eles paravam de comer balas, pois balas eram tuuuuudo de bom. Chiclete então... melhor coisa do mundo.

Depois do último problema com dente que eu tive, entendi tudo. E me peguei, de repente, negando balas e chicletes, por medo de detonar outro dente.

Saquei tudo. Acho que é assim que a transformação começa.

sexta-feira, 27 de julho de 2012

14/365 - Não tem como não ir!

Tenho andado um pouco desligada dos acontecimentos do mundo. Das agendas de show, então, nem se fala.

Mas hoje descobri (e minha colega disse que descobri tarde) que vai ter show do Slash em Poa!

Óbvio que já comprei os ingressos (pra mim e pro namo)!

De toda a minha adoração por Guns n' Roses, durante a minha adolescência, o Slash era o grande motivo de eu realmente curtir a banda. O Guns todo era legal, mas o Slash... ele era O Cara!

O tempo passou, conheci outras bandas, mas sempre que eu vejo o Slash, ele é O Cara. Pena que o Guns não esteja mais junto, mas esse show deverá unir, também músicas das outras bandas dele, igualmente muito boas.

Mal posso esperar pela data, que, ainda bem, cai numa sexta-feira. Aleluia!

quinta-feira, 26 de julho de 2012

13/365

Do I Can Read, que sempre tem alguma coisa legal, pros dias bons e pros dias ruins também.

Vamos em frente. Todo dia a gente aprende.

12/365 - Deixaram saudades

Hoje é dia de celebrar ou de sentir falta dos avós.


O meu é o segundo caso, uma peninha.
Não sobrou nenhum vô e nenhuma vó pra dar um abraço hoje, sniff!

terça-feira, 24 de julho de 2012

11/365 - Dwellings

Do livro The Sketchbook Challenge, de Sue Bleiweiss, o exercício propõe que se desenhe o lar, porém, a ideia é fugir do lar padrão - nossa casa, ou aquela tradicional casinha com formatos básicos - e brincar com a ideia de casas com formatos diferentes.

Fiz a primeira.


E fiz a segunda, pra diversão "dos outros", claro!


 Ficou assim.


Curti!

segunda-feira, 23 de julho de 2012

10/365 - Música Boa

Eu jamais deveria ter deixado de postar no blog nos tempos em que tinha gente que comentava os posts por aqui... e tinha gente. A maioria tinha blog, então, tem aquela coisa no ar que te faz entender que pra receber comentário, tem que comentar no blog dos outros. Uma parceria, digamos.

A maioria largou dessa vida... até eu quase fiz isso.

Whatever! O ponto não é esse!

É que eu lembrei de uma música tri boa que tem o poder de me deixar bem (existem algumas assim, que trazem uma alegria inexplicável, que vem do nada).

Não é nova (pra variar).

E tem que escutar em volume alto (mesmo que seja no fone de ouvido)!


Boa semana minhagente!

domingo, 22 de julho de 2012

9/365 - Certas coisas não mudam com o tempo. Nem deveriam.

Tenho uma prima que mora no Paraná e que vejo com pouca frequência. Mas quando nos encontramos é sempre como se nosso último contato tivesse sido na semana anterior. As coisas continuam de onde haviam parado, é muito legal.

Nosso parentesco, na verdade, não é de primas de primeiro grau. Nossas avós, são irmãs (a minha avó já faleceu, mas uso o verbo no presente, pois a avó da Gi ainda vive, acho que o parentesco continua, mesmo com alguém em outra dimensão). Nossas mães, primas, sempre foram grandes amigas. Aconteceu que quando nos conhecemos, descobrimos muitas afinidades e mesmo longe uma da outra e com pouco contato, as coisas continuam numa boa.

Agora, penso na vergonha que foi deixarmos passar 10 anos sem nos encontrarmos. Hoje, conheci as filhas dela, uma de 5 e outra de 10 anos. As duas, umas fofas!

E a Érica (minha sobrinha), descobriu na família, sua nova amigona, a Julia, de 5 aninhos.

São os laços de amizade que se formam em família e que nos tornam muito mais do que apenas parentes.

Amigos são tudo de bom. Família é tudo de bom. Quando conseguimos unir os dois, fica tudo muito melhor!

O domingo acaba com uma saudadezinha chata, mas com os planos de reencontro próximo.

(vai ficar sem foto, porque a foto que eu queria, misteriosamente, não esta no cartão da máquina)






sábado, 21 de julho de 2012

8/365 - Italian Genius

Mostra de Design - Italian Genius Now - em Porto Alegre, no Santander Cultural. 
Vale a pena visitar!

7/365 - O gostador é meu e eu gosto do que eu quiser.

Eu sei que existe muita genta adoradora e é seguidora da Apple e isso que eu vou falar agora é uma opinião pessoal minha, que ninguém precisa concordar.

Não gosto da Apple. Não me adaptei com a Apple. Não vou mais comprar Apple.

O motivo é um só: a ideia de me tornar escrava de um sistema não me agrada em nada. Nadinha. Eu gosto que as coisas funcionem sem muito esquema.

Sempre quis ter um Iqualquer e então decidi comprar o Ipod Nano no final do ano passado. Uso ele um monte... como relógio de pulso!

O design é legal, o sistema é legal, o som é maravilhoso, mas o simples fato de eu já ter gasto muito tempo tentando passar minhas musicas pra merda do Itunes e tendo ficado sem metade delas, me irrita demais! Foi o bastante pra taxar a Apple de sistema falho.

Sim, claro, a ideia é comprar as músicas. Certo. Mas e os cds que eu já tenho? Muita coisa, o ITunes não aceitou. Se é pra eu ter um player que não toca o que eu quero ouvir, prefiro nem ter.

E assim vai. Já vi muita gente não conseguir abrir programas e anexos simples nos notes da Apple, porque, sabem, é um Apple e Apple não aceita qualquer coisa. Não aceita nada que não seja Apple, melhor dizendo. Isso é legal? Não sei até que ponto.

Com todo respeito pelas pessoas que conseguiram se adaptar e amam a praticidade que dizem que a Apple tem, desculpem, mas vou amarrar meu burrinho em outra marca. Eu já odeio depender de pessoas, o que muitas vezes é inevitável, mas depender de eletrônicos, faça o favor!


quinta-feira, 19 de julho de 2012

quarta-feira, 18 de julho de 2012

5/365 - Coisas boas também acontecem - ainda bem!

Sabe quando a gente faz uma compra na internet e ao receber a encomenda, tem aquela sensação de "oba, ganhei presente"?

Então, eu adoro!

E sabe aqueles livros que eu comentei que comprei na Amazon, no post anterior? Bom... a previsão de entrega deles era 8 de Agosto em diante. Mas por algum motivo, cheguei em casa e o pacote estava ali, no meu quarto, me esperando.

Quando eu olhei a caixa, antes mesmo de conseguir ficar feliz, meu sangue gelou... DHL. Encomenda expressa... ui! Eu juro que tinha encomendado por frete normal, aquele que demora horrores porque é mais barato.

Fiquei matutando... lembrando dos momentos de finalização da compra... ok, eu cliquei no encomenda expressa só pra saber a diferença de preço. Será que consegui a façanha de ser tão salame e não mudar pro frete tradicional de novo?

Me senti muito idiota. Imaginei quanto isso acabaria custando (eu lembrava que a diferença era $ignificativa). Era só o que faltava pra hoje...

Aí fui fazer o tira-teimas e descobri que aconteceu algo muito legal. Comprei com frete normal e ganhei frete DHL! Simples assim. Só 3 dias úteis e pimba!

Pode ter sido um erro, ou uma estratégia de marketing (ouvi falar que vai abrir filial no Brasil).

Mas hoje, prefiro pensar que Deus deve ter olhado pra baixo e dito... "ela não é só uma chata reclamona, que não consegue ficar quieta quando não concorda com as coisas, ela também é legal e merece um bonus! E ele vai chegar bem no dia que ela precisa de uma injeção de ânimo!"

Obrigada Deus, ou seja lá qual for o nome da pessoa da Amazon que resolveu ser querida comigo!


Se eu já era abobadinha da Amazon antes, imagina agora, hehehe.

terça-feira, 17 de julho de 2012

4/365 - Começo a esquecer de me lembrar... e assim vai.

Chega a pessoa em casa, se achando porque comprou um album de figurinhas da Monster High para a sobrinha, com 10 pacotinhos de figurinha, pra diversão geral da nação.

Primeiro contato com o álbum foi de emoção. Abrimos os pacotes, ensinei a lógica da coisa. Procurar números iguais, colar figurinha, riscar a grade do fim do álbum, dar as figurinhas repetidas pra tia...

Felicidade. Colou duas figurinhas, mostrou o brinquedinho novo pra todo mundo.

- E aí Érica, vamos colar todas?
- Caaaaaaalma Tia Lela, quero mostrar pro Vô Chico e pra Vó Tere, amanhã.

Ok, quer colar a figurinha na casa dos avós, tudo bem.

Volta ela, no dia seguinte.

- E então Érica, já colou todas?
- Não néééé... eu quero ir colando devagarinho!
- Mas Érica...
- Tia Lela, eu quero colar devagarinho!
- Dio Cristo, tá bom então!

Hoje.

- Érica, cadê teu álbum de figurinhas.
- Tá lá no quarto.
- Já colou as figurinhas?
- Não, porque...
- Busca ele e vamos colar, então!!! Vou te ensinar qual é o lance dos álbuns de figu...
- Mas Tia Lela, deixa eu explicar!
Achei que vinha de novo a história do "devagarinho".
- Tá bom, explica.
- É que eu me esqueço.
- Do que?
- De me lembrar! Eu começo a me esquecer de me lembrar de colar as figurinhas.

Senhor Jesus!

- Ok então. Mas é assim ó: as figurinhas estão na banca por tempo determinado. Daqui a pouco não tem mais o álbum e a gente não encontra mais figurinha. Se tu não colar as figurinhas, a gente não vai saber quantas faltam e aí eu não vou mais comprar pacotinho de figurinha. Quando acabar, acabou, mesmo que tu lembre de colar, não tem mais figurinha pra comprar.
- Tá bom, então eu me lembrei de colar as figurinhas agora. Tu cola elas comigo?

Psicologia infantil rules!






3/365 - Drawing Lab

Eu adoro americanos porque eles tem tudo, de tudo que se possa imaginar.

Quem tem algum conhecimento da inglês, pode se divertir com livros que são encontrados apenas por lá. Principalmente na área artesanal, que temos pouquíssimo material nacional disponível.

Foi na Amazon.com que encontrei o Drawing Lab. É um livro com exercícios de desenho para exercitar a criatividade. São bem legais, bem divertidos.

Um dos exercícios, é visualizar possíveis imagens, tiradas de uma rachadura no chão, parede, etc. Depois, trabalha-se o formato e prenchimento.

Abaixo, uma imagem do que saiu. Considerando, também, claro, a participação da Érica, que ao chegar no meu quarto já largou um "Tia Lela, que legal esse desenho que tu fez pra mim pintar!"

E é incrível como ela se acalma quando esta desenhando ou pintando(fica a dica pra quem tem criança em casa).


Já está a caminho um livro com atividades específicas para crianças. ;)

segunda-feira, 16 de julho de 2012

2/365 - Dirty memories


Sério... os guris da minha rua viviam fazendo isso. Impossível não lembrar da infância.

Tinha aqueles que tentavam soletrar o alfabeto inteiro, ou cantar um trecho de uma música (que podre)... não vou dar os nomes pra não ficar chato, hahahah.

Mais alguém tinha essas figuras na turma?

domingo, 15 de julho de 2012

1/365 - Um pouco diferente da proposta


Já faz algum tempo que eu percebi a minha necessidade de voltar a ter um tempo para minhas criações, sejam elas um texto para o blog, um trabalho com feltro, um cartão com técnicas de scrapbook, parar para tirar uma foto legal, trabalhar colagens, bordar algo ou mesmo, desenhar. Coisas que a gente faz por hobbie.

Semana passada, procurando alguns livros de atividades artísticas na Amazon, me deparei com os livros que sugerem desafios de 365 dias.

Eles funcionam no estilo do desafio abordado no filme Julie & Julia, no qual a Julie tenta fazer 524 receitas do livro da Julia Child, durante 365 dias, postando tudo em um blog. Pra quem ainda não assistiu, o filme é ótimo!

Fiquei tri animada com a ideia e comecei a pensar em começar um desses "365 days challenge", mas achei melhor amadurecer a ideia por alguns dias e caí na real. Do jeito que as coisas andam, não tenho condições de me comprometer a criar algo e postar, todo santo dia.

Mas surgiu outra ideia, para não morrer na praia com tanta facilidade: 365 postagens, iniciando agora, até dia 14/07/13. Sem limites de postagem por dia. Sem assuntos pré-definidos. O importante é manter acesa a chama do blog (lindo!). Considerando que isso daria, em torno de 8 postagens por semana, pra alguém que mal consegue olhar o blog, acho que é um grande desafio.

E pra não dizer que eu nem tentei a ideia inicial, eu até fiz um desenho. Comecei ele na sexta, mas não consegui terminar. Aí, fiz um pouco mais ontem (sábado)e precisei deixar pra finalizar hoje. Mas teve gente que chegou no meu quarto e os olhinhos brilharam quando viram o desenho, ainda com partes para pintar.

Foi impossível dizer que não (até porque, deixa pintar que é um incentivo!).


* Sim, o título do blog mudou. Não aguentava mais o Look At The Stars.

A contagem já começou!