domingo, 18 de dezembro de 2011

O dom de estragar uma surpresa

Há mais ou menos duas semanas, chamei meu pai para uma conversa:
Eu - Pai, fiz uma assinatura de palavras cruzadas pra dar de presente de Natal pra mãe. Então, como as correspondências chegam sempre no escritório, se chegarem revistas em nome dela, entrega pra mim, não pra ela.
Pai - Sim, pode deixar, legal!
Eu - Entendeu?
Pai - Sim, entrego pra ti.

Ok.

Mas eu achei melhor reforçar, então, na semana seguinte, quando recebi o aviso da Coquetel de que as revistas haviam sido enviadas, falei com ele de novo.

Eu - Pai, lembra que te falei das revistas de palavras cruzadas que vão vir para a mãe e é pra me entregar?
Pai - Sim, mas não chegou nada ainda.
Eu - É, eu sei, mas recebi a confirmação da editora de que foram enviandas, então, devem estar chegando. Tu não entrega pra mãe hein!
Pai - Não, eu já entendi que é pra entregar pra ti!

Ontem de tarde, falando com a minha mãe:
Eu - Mãe, tu sabe se o pai tem aberto aquela caixa de correio que ele colocou no muro? Estou esperando umas coisas que não chegam...
Mãe - Imagina Manoela, ele deve estar olhando... mas pergunta pra ele.
Eu - Tá, depois eu pergunto.

Logo depois, saí com minha mãe de carro. Quando retornamos, estavamos saíndo da garagem quando meu pai veio vindo lá da caixa do correio, com algumas correspondências na mão e vai logo entregando um pacotinho preto pra minha mãe - e anunciando:
Pai - Olha Maura, chegou correspondência pra ti... "Maura Pietta Lorenzi - casa verde em frente ao museu municipal" acho que é tu!
Eu - PAAAAIIIIIEEEEEEEEE!!!!!
Pai (balançando o pacotinho) - Olha só, até parecem cruzadinhas, hehehehe!

:/

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Mensagem para meus colegas

Muitos de vocês nem sabiam que eu tinha um blog, né?

Oi gente, esse é meu blog, tá cheio de besteiras, mas se vcs quiserem ler, eu deixo!

É que este ano eu não tive muito tempo de manter ele.

Quando eu tenho uma idéia para escrever, normalmente não tenho como postar. Quando eu tenho como postar, a probabilidade de estar muito ocupada com outras coisas é muito grande, o que acaba prejudicando o blog.

O post de hoje, que não sei se será o último do ano, fiz especialmente para vocês, meus colegas de trabalho. Todos são muito especiais e gostaria de falar um pouco sobre cada um – assim todo mundo vai saber de quem é a culpa de eu estar sempre ausente, hahaha!

No início deste ano, comecei a trabalhar no Sindmóveis. O Sindmóveis é o Sindicato das Indústrias da Construção e do Mobiliário, aqui de Bento Gonçalves. Mas não pensem que é um sindicato, daqueles normais, porque não é! O Sindmóveis organiza duas grandes feiras: Movelsul e Casa Brasil. Paralelamente a elas, acontece o concurso Salão Design, no qual estou trabalhando. Além disso, também temos o projeto Orchestra. Não é para fazer propaganda, só para dar uma noção do trabalho que a gente tem. A gente rala o ano inteiro, não tem horário pra sair nas épocas de tirão dos eventos, muito menos fica de varde no final de semana, em temporada de feira. Quem pensa que trabalhar no Sindmóveis é mamata, esta redondamente enganado!

Aguentar essas maratonas seria muito cansativo, se não fossem eles: os colegas!

Não adianta dizer que não dá pra ter amizade no trabalho e toda aquela ladainha que os desiludidos com as amizades costumam puxar. A gente passa o maior tempo do ano juntos. Se não formos amigos, como vamos levar adiante? É muito mais do que uma relação de coleguismo e de “ter” que ajudar.

Vou falar um pouco sobre eles então. Afinal, eles me agüentam – e isso não é tarefa fácil não!!! Hahahaha!

A Lilian e a Estefani almoçam comigo e são as que fazem o trabalho pesado. Sempre que precisamos mandar convites, brindes, etc, elas são as confirmadas do mutirão. Trabalhar nos mutirões é bem legal, já temos até uma turma formada! É tri fácil fazer a Lilian chorar de rir. Eu sempre tento dar sustos nela, mas muitas vezes ela reconhece os meus passos, vindo do auditório, e meus planos vão pro água abaixo.

A Estéfani adora bichinhos e é bom que ela nunca entre na APA porque ela vai sofrer demais. Se existe alguém que não agüenta injustiças, é a Estefani! Ela também gosta de filmes de terror, mas esta com medo de ler O Horror em Amityville, que emprestei pra ela. Ela deve ter tanto medo, que o livro esta na mesa dela faz dois meses – e esta com a capa virada pra parede!

O Hugo – O Ninja – vive salvando a gente! Seja operando nossos computadores – ele também ficou conhecido como Dr. Hugo – ou entrando pelas janelas do banheiro para destrancar a porta que não abria mais. Um cara discreto, que esta sempre ligado. É difícil ver o Hugo brabo, embora eu tenha tido a impressão de que ele queria me estrangular durante o Salão Design, mas tudo bem, rsrsrsrs. No fundo eu sei que ele, mesmo tímido, adorou quando a gente cantou Parabéns pra ele, das janelas do prédio, no aniversário dele. Hugo, faremos isso sempre, já que tu gostou, hahaha!

A Fernanda – ou Ferdinanda – entrou no Sind antes da Casa Brasil. A gente só se olhou e já viu que tinha algo em comum. Quando soubemos que seríamos vizinhas no escritório do parque, a casa caiu. Ela usava o nome de Deus pra conseguir tudo o que queria de mim – leia-se “maquiagem durante a feira”. Ela me ajudou tanto que já atendia o telefone dizendo que era minha secretária. O post anterior a este explica bem essa relação toda. A Fer esta sempre de bom humor e tem sempre uma tirada ótima pra gente rir! Há quem diga que ela tem cara de que foi aquelas crianças que beliscavam os coleguinhas, na escola.

A Lisa – que está de férias mas não pode ser esquecida – é a cabeça da comunicação e também é nossa Profe de Português – ela saca tudo de regras, é incrível. A Lisa sofre com pessoas que falam “hall de entrada” e dizem que vão pegar um “translado” ou um “transfer” – porque “translado” é para cadáveres e “transfer” é um adesivo – o correto é dizer “traslado”, captaram? Dizer “hall de entrada” é redundância, diga apenas “hall”. Por estes e outros motivos, a Lisa tem um caderno onde ela anota as pérolas da língua portuguesa – adoro! A Lisa também me ensinou que, para texturizar o esmalte da unha, é só ir dormir depois de passar o esmalte – a gente acorda com as unhas com textura de lençol, cobertor... superprático, né Lisa???? Ah, a Lisa tem um marido que manda fotos e vídeos de aranha para os aracnofóbicos do Sindmóveis.

A Ana e o Eduardo sentam na mesma ilha que eu. A Ana é responsável pela área de serviços e é uma pessoa de grande coração, além de ser muito justa e centrada no que faz. É uma daquelas pessoas que tu te surpreende ao conhecer melhor. Eles dois adoram gatos, assim como eu! A Ana também é aracnofóbica e odeia ficar sozinha em casa em março (mês das aranhas).


O Eduardo é a inteligência do Sindmóveis. A gente fez lavagem cerebral nele esta semana. A namorada dele pode ficar tranqüila, porque ele nunca terá coragem de trair ela, depois de tudo que ele ouviu. Quero deixar claro que ele não fez nada pra merecer o que ouviu, mas ouviu igual, rsrsrsrs! O Edu é um cara rock n’ roll, com quem rola umas conversas sobre bandas e atualizações sobre shows. Foi uma ótima aquisição da nossa ilha, rsrsrs! Não sei se ele pensa o mesmo, mas... nevermind!




Temos também as gurias da ilha comercial: a Gabi, a Muri e a Di!

A Gabi é aparentemente quieta, mas não se engane, é só começar a conversar que o papo rende! Ela esta fazenco autoescola e já me disseram que viram ela com cara de tédio dentro da sala de aula, hahahaha! Alem disso, ela, assim como a Di, são feras em vendas de espaço nas feiras!

A Di é meu braço direito no espanhol, me ajudou horrores nestes últimos meses! Ela tem uma filhinha muito fofa, a Lara, e sempre tem uma foto legal pra mostrar pra gente – e todo mundo fica babando! Além disso, é nossa revendedora oficial da AVON e Natura! Ou seja, eu estou sempre devendo pra Di! Seja dinheiro ou seja gratidão, rsrsrs!

A Muri é o caso a parte né gente... magra e alta, foi apelidada de “girafones” por um italiano, na última feira. Se alguma coisa cai, ou quebra, ou algo do tipo, pode apostar que foi a Muriel! Mesmo quando não é a Muriel, é a Muriel, entenderam? Ela diz que sofre de bullying aqui – e quanto mais ela fala, pior fica! Hahaha.

E temos a ilha export-financeiro-gerencial, onde estão o Léo, o Elvis, a Sabri e a Deni.

O Léo é um cara legal, descolado, intelectual, que tem bom gosto musical e sempre tem uma tiradinha irônica inteligente e engraçada. É outro dos caras do rock – que, dizem, entrou na formatura com o tema do Rocky Balboa – já ganhou meu respeito ali. Os perfumes do Léo são ótimos e isso não é uma cantada, é um elogio!

A Sabri chegou aqui tímida e demorou um pouco pra se largar. Tá sempre rindo e brincando. E sempre me ajudando a encontrar as contas certas das despesas! Volta e meia ela almoça conosco e tenta lavar a louça, mas a gente ameaça ela de morte e ela acaba desistindo, rsrsrs!

O Elvis é o cara que tem sempre que ficar explicando no telefone que o nome dele é Elvis. Aí a gente escuta “é Elvis, El-vis!”. Eu não sei como as pessoas confundem um nome tão lindo e conhecido – pra mim é como se fosse Jesus, não tem como confundir! Além disso, ele se recusa a trocar a água, porque na última vez, deu enchente no Sindmóveis!!! Ah, como existe uma árvore entre a gente, eu e o Elvis acabamos sempre nos falando entre os galhos, é ridículo, mas a gente não desiste!





E tem a Deni né... que é nossa gerente administrativa e que insiste em acreditar no nosso potencial!!! O Sind não seria o mesmo se ela não estivesse na coordenação. A Deni é quem faz a gente acontecer, mantendo a equipe motivada e dando dicas de como fazer as coisas da melhor maneira.

Além dessa turminha, temos também a Carmem, que mantém tudo limpinho e organizado, e o Silvio, que descasca os pepinos do parque de eventos, rsrsrs!

É um monte de gente que faz parte dos meus dias, apoiando, acreditando, ajudando e me fazendo rir. Cada um tem seu jeito de ser, suas peculiaridades e se cada um deles não fosse exatamente do jeito que é, já não seria tão legal assim.

Quero deixar meu agradecimento para todos eles, que me ajudaram de uma forma ou de outra.

Este foi meu melhor ano de trabalho ever, porque o trabalho que eu faço é legal e porque a turma que me cerca também.

Eu escreveria mais, sobre todas as pessoas que envolvem nossos trabalhos e que são tão legais quanto meus colegas, mas haja olho pra ler tudo né... porque seria muuuuuita gente!!!

Pessoal, agora que vocês estão acabando de ler este texto, peço para que se divirtam e também se cuidem nestas férias. Todos vocês são bem importantes na minha vida e 2012 está logo ali, esperando a gente com muito trabalho e bom humor para agüentar o pique!

Tenham todos vocês e suas famílias um ótimo Natal e um Ano Novo melhor do que foi 2011, que, ao menos para mim, foi perfeito!