domingo, 18 de dezembro de 2011

O dom de estragar uma surpresa

Há mais ou menos duas semanas, chamei meu pai para uma conversa:
Eu - Pai, fiz uma assinatura de palavras cruzadas pra dar de presente de Natal pra mãe. Então, como as correspondências chegam sempre no escritório, se chegarem revistas em nome dela, entrega pra mim, não pra ela.
Pai - Sim, pode deixar, legal!
Eu - Entendeu?
Pai - Sim, entrego pra ti.

Ok.

Mas eu achei melhor reforçar, então, na semana seguinte, quando recebi o aviso da Coquetel de que as revistas haviam sido enviadas, falei com ele de novo.

Eu - Pai, lembra que te falei das revistas de palavras cruzadas que vão vir para a mãe e é pra me entregar?
Pai - Sim, mas não chegou nada ainda.
Eu - É, eu sei, mas recebi a confirmação da editora de que foram enviandas, então, devem estar chegando. Tu não entrega pra mãe hein!
Pai - Não, eu já entendi que é pra entregar pra ti!

Ontem de tarde, falando com a minha mãe:
Eu - Mãe, tu sabe se o pai tem aberto aquela caixa de correio que ele colocou no muro? Estou esperando umas coisas que não chegam...
Mãe - Imagina Manoela, ele deve estar olhando... mas pergunta pra ele.
Eu - Tá, depois eu pergunto.

Logo depois, saí com minha mãe de carro. Quando retornamos, estavamos saíndo da garagem quando meu pai veio vindo lá da caixa do correio, com algumas correspondências na mão e vai logo entregando um pacotinho preto pra minha mãe - e anunciando:
Pai - Olha Maura, chegou correspondência pra ti... "Maura Pietta Lorenzi - casa verde em frente ao museu municipal" acho que é tu!
Eu - PAAAAIIIIIEEEEEEEEE!!!!!
Pai (balançando o pacotinho) - Olha só, até parecem cruzadinhas, hehehehe!

:/

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Mensagem para meus colegas

Muitos de vocês nem sabiam que eu tinha um blog, né?

Oi gente, esse é meu blog, tá cheio de besteiras, mas se vcs quiserem ler, eu deixo!

É que este ano eu não tive muito tempo de manter ele.

Quando eu tenho uma idéia para escrever, normalmente não tenho como postar. Quando eu tenho como postar, a probabilidade de estar muito ocupada com outras coisas é muito grande, o que acaba prejudicando o blog.

O post de hoje, que não sei se será o último do ano, fiz especialmente para vocês, meus colegas de trabalho. Todos são muito especiais e gostaria de falar um pouco sobre cada um – assim todo mundo vai saber de quem é a culpa de eu estar sempre ausente, hahaha!

No início deste ano, comecei a trabalhar no Sindmóveis. O Sindmóveis é o Sindicato das Indústrias da Construção e do Mobiliário, aqui de Bento Gonçalves. Mas não pensem que é um sindicato, daqueles normais, porque não é! O Sindmóveis organiza duas grandes feiras: Movelsul e Casa Brasil. Paralelamente a elas, acontece o concurso Salão Design, no qual estou trabalhando. Além disso, também temos o projeto Orchestra. Não é para fazer propaganda, só para dar uma noção do trabalho que a gente tem. A gente rala o ano inteiro, não tem horário pra sair nas épocas de tirão dos eventos, muito menos fica de varde no final de semana, em temporada de feira. Quem pensa que trabalhar no Sindmóveis é mamata, esta redondamente enganado!

Aguentar essas maratonas seria muito cansativo, se não fossem eles: os colegas!

Não adianta dizer que não dá pra ter amizade no trabalho e toda aquela ladainha que os desiludidos com as amizades costumam puxar. A gente passa o maior tempo do ano juntos. Se não formos amigos, como vamos levar adiante? É muito mais do que uma relação de coleguismo e de “ter” que ajudar.

Vou falar um pouco sobre eles então. Afinal, eles me agüentam – e isso não é tarefa fácil não!!! Hahahaha!

A Lilian e a Estefani almoçam comigo e são as que fazem o trabalho pesado. Sempre que precisamos mandar convites, brindes, etc, elas são as confirmadas do mutirão. Trabalhar nos mutirões é bem legal, já temos até uma turma formada! É tri fácil fazer a Lilian chorar de rir. Eu sempre tento dar sustos nela, mas muitas vezes ela reconhece os meus passos, vindo do auditório, e meus planos vão pro água abaixo.

A Estéfani adora bichinhos e é bom que ela nunca entre na APA porque ela vai sofrer demais. Se existe alguém que não agüenta injustiças, é a Estefani! Ela também gosta de filmes de terror, mas esta com medo de ler O Horror em Amityville, que emprestei pra ela. Ela deve ter tanto medo, que o livro esta na mesa dela faz dois meses – e esta com a capa virada pra parede!

O Hugo – O Ninja – vive salvando a gente! Seja operando nossos computadores – ele também ficou conhecido como Dr. Hugo – ou entrando pelas janelas do banheiro para destrancar a porta que não abria mais. Um cara discreto, que esta sempre ligado. É difícil ver o Hugo brabo, embora eu tenha tido a impressão de que ele queria me estrangular durante o Salão Design, mas tudo bem, rsrsrsrs. No fundo eu sei que ele, mesmo tímido, adorou quando a gente cantou Parabéns pra ele, das janelas do prédio, no aniversário dele. Hugo, faremos isso sempre, já que tu gostou, hahaha!

A Fernanda – ou Ferdinanda – entrou no Sind antes da Casa Brasil. A gente só se olhou e já viu que tinha algo em comum. Quando soubemos que seríamos vizinhas no escritório do parque, a casa caiu. Ela usava o nome de Deus pra conseguir tudo o que queria de mim – leia-se “maquiagem durante a feira”. Ela me ajudou tanto que já atendia o telefone dizendo que era minha secretária. O post anterior a este explica bem essa relação toda. A Fer esta sempre de bom humor e tem sempre uma tirada ótima pra gente rir! Há quem diga que ela tem cara de que foi aquelas crianças que beliscavam os coleguinhas, na escola.

A Lisa – que está de férias mas não pode ser esquecida – é a cabeça da comunicação e também é nossa Profe de Português – ela saca tudo de regras, é incrível. A Lisa sofre com pessoas que falam “hall de entrada” e dizem que vão pegar um “translado” ou um “transfer” – porque “translado” é para cadáveres e “transfer” é um adesivo – o correto é dizer “traslado”, captaram? Dizer “hall de entrada” é redundância, diga apenas “hall”. Por estes e outros motivos, a Lisa tem um caderno onde ela anota as pérolas da língua portuguesa – adoro! A Lisa também me ensinou que, para texturizar o esmalte da unha, é só ir dormir depois de passar o esmalte – a gente acorda com as unhas com textura de lençol, cobertor... superprático, né Lisa???? Ah, a Lisa tem um marido que manda fotos e vídeos de aranha para os aracnofóbicos do Sindmóveis.

A Ana e o Eduardo sentam na mesma ilha que eu. A Ana é responsável pela área de serviços e é uma pessoa de grande coração, além de ser muito justa e centrada no que faz. É uma daquelas pessoas que tu te surpreende ao conhecer melhor. Eles dois adoram gatos, assim como eu! A Ana também é aracnofóbica e odeia ficar sozinha em casa em março (mês das aranhas).


O Eduardo é a inteligência do Sindmóveis. A gente fez lavagem cerebral nele esta semana. A namorada dele pode ficar tranqüila, porque ele nunca terá coragem de trair ela, depois de tudo que ele ouviu. Quero deixar claro que ele não fez nada pra merecer o que ouviu, mas ouviu igual, rsrsrsrs! O Edu é um cara rock n’ roll, com quem rola umas conversas sobre bandas e atualizações sobre shows. Foi uma ótima aquisição da nossa ilha, rsrsrs! Não sei se ele pensa o mesmo, mas... nevermind!




Temos também as gurias da ilha comercial: a Gabi, a Muri e a Di!

A Gabi é aparentemente quieta, mas não se engane, é só começar a conversar que o papo rende! Ela esta fazenco autoescola e já me disseram que viram ela com cara de tédio dentro da sala de aula, hahahaha! Alem disso, ela, assim como a Di, são feras em vendas de espaço nas feiras!

A Di é meu braço direito no espanhol, me ajudou horrores nestes últimos meses! Ela tem uma filhinha muito fofa, a Lara, e sempre tem uma foto legal pra mostrar pra gente – e todo mundo fica babando! Além disso, é nossa revendedora oficial da AVON e Natura! Ou seja, eu estou sempre devendo pra Di! Seja dinheiro ou seja gratidão, rsrsrs!

A Muri é o caso a parte né gente... magra e alta, foi apelidada de “girafones” por um italiano, na última feira. Se alguma coisa cai, ou quebra, ou algo do tipo, pode apostar que foi a Muriel! Mesmo quando não é a Muriel, é a Muriel, entenderam? Ela diz que sofre de bullying aqui – e quanto mais ela fala, pior fica! Hahaha.

E temos a ilha export-financeiro-gerencial, onde estão o Léo, o Elvis, a Sabri e a Deni.

O Léo é um cara legal, descolado, intelectual, que tem bom gosto musical e sempre tem uma tiradinha irônica inteligente e engraçada. É outro dos caras do rock – que, dizem, entrou na formatura com o tema do Rocky Balboa – já ganhou meu respeito ali. Os perfumes do Léo são ótimos e isso não é uma cantada, é um elogio!

A Sabri chegou aqui tímida e demorou um pouco pra se largar. Tá sempre rindo e brincando. E sempre me ajudando a encontrar as contas certas das despesas! Volta e meia ela almoça conosco e tenta lavar a louça, mas a gente ameaça ela de morte e ela acaba desistindo, rsrsrs!

O Elvis é o cara que tem sempre que ficar explicando no telefone que o nome dele é Elvis. Aí a gente escuta “é Elvis, El-vis!”. Eu não sei como as pessoas confundem um nome tão lindo e conhecido – pra mim é como se fosse Jesus, não tem como confundir! Além disso, ele se recusa a trocar a água, porque na última vez, deu enchente no Sindmóveis!!! Ah, como existe uma árvore entre a gente, eu e o Elvis acabamos sempre nos falando entre os galhos, é ridículo, mas a gente não desiste!





E tem a Deni né... que é nossa gerente administrativa e que insiste em acreditar no nosso potencial!!! O Sind não seria o mesmo se ela não estivesse na coordenação. A Deni é quem faz a gente acontecer, mantendo a equipe motivada e dando dicas de como fazer as coisas da melhor maneira.

Além dessa turminha, temos também a Carmem, que mantém tudo limpinho e organizado, e o Silvio, que descasca os pepinos do parque de eventos, rsrsrs!

É um monte de gente que faz parte dos meus dias, apoiando, acreditando, ajudando e me fazendo rir. Cada um tem seu jeito de ser, suas peculiaridades e se cada um deles não fosse exatamente do jeito que é, já não seria tão legal assim.

Quero deixar meu agradecimento para todos eles, que me ajudaram de uma forma ou de outra.

Este foi meu melhor ano de trabalho ever, porque o trabalho que eu faço é legal e porque a turma que me cerca também.

Eu escreveria mais, sobre todas as pessoas que envolvem nossos trabalhos e que são tão legais quanto meus colegas, mas haja olho pra ler tudo né... porque seria muuuuuita gente!!!

Pessoal, agora que vocês estão acabando de ler este texto, peço para que se divirtam e também se cuidem nestas férias. Todos vocês são bem importantes na minha vida e 2012 está logo ali, esperando a gente com muito trabalho e bom humor para agüentar o pique!

Tenham todos vocês e suas famílias um ótimo Natal e um Ano Novo melhor do que foi 2011, que, ao menos para mim, foi perfeito!

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Em nome de Deus!

Antes de começar, já explico que este não é um post religioso. Digo, em partes é, mas não daquele jeito fervoroso e tal. Enfim.

Desde que nos mudamos temporariamente para o escritório da Fundaparque, afim de organizarmos melhor a Casa Brasil 2011, aprendi muitas coisas.

Uma delas foi a seguinte: se tu quiser algo pra logo, invoque o nome de Deus, ou de Jesus. Aprendi com a minha colega de kitnet Fernanda (kitnet é o nome que demos para o espacinho empilhado em que eu + Fer + Estéfani + Hugo estamos trabalhando).

Tudo começou na quinta-feira de manhã, quando eu, resfriada e sem conseguir respirar, fui chantageada da seguinte forma:
Fer - Manô, me faz uma maquiagem hoje?
Eu - Bah, não sei se vai dar tempo Fer.
Fer - Faz sim!

Silêncio.
Silêncio.

Fer - Sabe, Manô, que quando Deus olha pra baixo e decide quem ele vai curar dos resfriados, ele sempre dá preferência para as crianças e para as pessoas que fazem boas ações, tipo, maquiar as colegas de kitnet.:D
Eu (quando consegui parar de rir) - Tá bom então! Mas se amanhã eu não estiver bem...
Fer - ... aí significa que tu tem que me maquiar de novo, hehehee.

E foi assim que a Fer ganhou maquilure* grátis até o fim da feira, hahaha!

Desde então, as coisas funcionam assim:
Eu - Fer, tô no pavilhão F e não tenho mais fita adesiva, tras pra mim?
Fer - Ah, não, até o F...
Eu - Em nome de Deus!
Fer - Tá boooom, tô indoooo!

Usar "Em nome de Deus" também funciona com a variação "Jesus tá vendo!". Exemplo:

A Muriel foi para a cozinha pegar café.
Eu - Muri, trás um pra mim?
Muri - Não!
Eu - Jesus tá vendo!
Gente, o café veio rápido e ainda acompanhado do açucareiro!

Aprenderam né?

E não me digam que é pecado usar o Santo Nome em vão, porque isso não é em vão... afinal, a gente só usa quando precisa de algo bem necessário! ;)



*Maquilure -> este foi um termo inventado por uma amiga (Renatê) que concluiu o seguinte: se fazer as mãos é manicure e os pés é pedicure, então, fazer o cabelo é cabelure e fazer a maquiagem, lógico, é maquilure!!!



quinta-feira, 14 de julho de 2011

Sam, Dean, tirem esse político daqui!!!

Depois de um agitado dia de trabalho, resolvi pegar uma pizza, jantar em casa sozinha e relaxar, assistindo tv.

Abri um vinho, liguei na Globo, para assistir ao Jornal Nacional. Comi uma fatia de pizza e ia partir para o segundo, quando terminou a novela e... tcharãm! Aparece a Fátima Bernardes anunciando a propaganda política obrigatória. Saco!

Mas na preguiça, pensei: deve ser rapidinho, logo termina, começa o JN e era isso.

Então começou a lenga-lenga.

Apareceu um Zémané qualquer, e começa seu discurso vazio. Então pensei "agora o fulano vai começar a rasgar seda pra gay ou pra mulher". Não deu outra.

Caso vocês não tenham percebido, nós - mulheres e nossos amigos gays (que mulher não adora ter amigo gay?)estamos tri na moda! Depois que o Brasil elegeu uma Presidenta e depois dos gays conquistarem o direito ao casamento, temos sido a bola da vez! Estamos em todo discurso moralmente bonito e comovente!

Por favor, gente! Vamos parar, porque isso esta ficando ridículo!

Políticossss, se liguem! Pensem em propostas decentes, não em puxar o saco alheio!

Só eu que me revolto com isso?

Estou cansada de ter que votar no "menos pior" em cada eleição! Sejam inteligentes, trabalhem pelo povo e não escolham seus "favoritos"! Trabalhem pela aceitação de todos, não de grupos! Mulheres, gays... não é por aí! Tem muita gente precisando ser aceita... tipo os gordinhos! Quero ver político puxando saco de gordinho em propaganda eleitoral! Tenha a santa paciência!

É por isso que eu troco de canal!

Ainda bem que são quase 21h e vai começar Supernatural na Warner!

Sam, Dean, me salvem, porque eu estou cansada de político sem noção!

terça-feira, 14 de junho de 2011

O triste momento da separação

Tinha uma propaganda que começava assim:

- Dizem que Brasileiro é apaixonado por carro.

Então eu vou contar uma historinha pra vocês.

Em 2006, quando mudei de emprego, chegou a hora de eu ter um carro todinho meu. Eu adorava dirigir, mas nunca conseguia o carro do meu pai emprestado e isso era um saco! Como eu havia sofrido 3 anos pegando transporte de estudantes aborrescentes, jurei pra mim mesma que essa tortura não se repetiria mais, então, fui em busca do carro.

Meu pai não gostou da ideia. Mas eu dei a real pra ele "pai, queria que tu fosse comigo procurar o carro, se tu não quiser ir, eu vou voltar pra casa, provavelmente, com um carro podre, achando que é bom, mas vou voltar com um carro. Então, ou tu aceita ir comigo procurar um carro bom, ou isso que eu te falei vai acontecer, mas sem carro, eu não vou ficar".

Então fomos. Foi uma semana de procuras, até que no dia 25/10, eu estava em casa, no meu quarto, quando escutei uma voz perguntando por mim, fora da casa. Fui pra janela e meu amigo da revenda estava falando com meu pai. Um Ka prata estacionado no pátio de casa.

Eu havia rodado Bento, Barbosa e Garibaldi procurando um Ka em bom estado.
- Tem esse Corsa.
- Eu quero um Ka.
- Mas esse vectra tá com preço bom.
- Ka.
- Olha aquele Clio...
- Qual é a parte do "eu quero um Ka" que ninguém entendeu direito?

Cheguei do lado dele. Olhei ao redor. Tava um xuxuzinho! Olhei a placa: IKE0326.
- Oi Ike!
(ele sorriu, eu senti!)

Levamos ele para "o mecânico da família" dar uma olhada. Algumas pequenas mudanças, mas estava ok. 2001, com 39.000km rodados. Inteirinho. O dono anterior tinha proteção em tudo - bancos, direção - quando tirei elas, encontrei um carro novo por baixo!

Esse foi o início de quase 5 anos de parceria.

Podem me chamar de abobada o quanto quiserem, mas o Ike nunca foi apenas um carro, ele era "O Ike".
- Sim, eu passo com o Ike pra te buscar.
- Mandei o Ike pro banho.
- Putz, tive que trocar a surdina do Ike, ele tava com complexo de V8.
- Entrou água no Ike, coitado, passei a noite enxugando ele.
- Tem fio pra gato? O Ike tá sem bateria...
- Cadê o cachorro anti-aranhas do Ike???
- Em 5? Não dá, o Ike perde a força...

Fora os grandes momentos como fechar zerinho no cascalho da Fenachamp, no Sábado Bandido (obrigada ao Vagner por me ensinar a fechar zerinho - a loooong time ago); as aventuras em Caxias do Sul, as idas diárias para Bento, faculdade, festas, caronas... sempre juntos, sem nunca ter sido deixada na mão e sempre com o melhor do Rock n' Roll tocando nos cds que levavam o título de "Ike Soundtrack" e que eram distribuídos entre os amigos (Bukiiii) cada vez que eu gravava a nova trilha do meu carrinho.

Enfim, como vocês podem ver, eu tenho um certo apego pelo Ike. Tanto que gostaria de deixar para ele algumas últimas palavras.

Ike, querido, quero te agradecer por toda a parceria nestes quase 5 anos em que convivemos juntos praticamente todos os dias. Desculpa se eu não te mandei pro banho tanto quanto deveria, mas ao menos teus pneus estavam sempre calibradinhos e fome, também nunca te deixei passar. Só tenho histórias legais pra contar - menos aquela do morro em que eu achei que a gente ia morrer, mas tudo bem, tu foi parceiro fiel e forte até naquele momento. Obrigada por ter se mantido na estrada durante todas as chuvas horríveis e serrações que pegamos - tu é o cara! Também quero te agradecer pelos poucos gastos, porque em 4 anos e meio juntos, gastei muito pouco contigo e aproveitei muito. Serei agradecida eternamente por não ter deixado aquela aranha monstruosa entrar em ti - essa foi a tua grande prova de amizade por mim, fiel escudeiro! Vou sentir falta de te encontrar na garagem (reclamando da ferrugem dos vizinhos, hahaha) todas as manhãs, no estacionamento, aos finais de tarde e em qualquer lugar que eu vá, pode ter certeza de que vou lembrar de ti. Esta sendo duro este momento de despedida, mas ambos sabíamos que esta hora iria chegar. Menos mal que eu estou te entregando para pegar outro da mesma raça, não acha? Não sei o nome dele ainda, mas tenho palpite de que é uma garota, rsrrsrs... de qualquer forma, sinto por não poder mais usar o trocadilho "Ka prata, mulher gata". Eu só desejo, do fundo da minha alma, que não te vendam pra um pagodeiro/ funkeiro/ axezeiro/ sertanejeiro, pois seria uma punhalada no meu coração. Se isso acontecer, querido, se joga de um barranco que dói menos, porque eu sei que teus ouvidos são afinados e não vão querer escutar qualquer porcaria. Vou sentir muita saudades de ti. Porque tu é meu faixa. Porque tu é o Ike que todo mundo já conhece. Boa sorte com o futuro dono. Tomara que a gente ainda se encontre "pelos caminhos da vida".

Este é o final de uma grande parceria. Mas a vida segue em frente, as coisas mudam e a gente guarda as boas lembranças.

Como diria a Buki, precisamos praticar o desapego. Mas Ike, de novo, espero que teu próximo dono tenha bom gosto.

Perceberam que essa é a minha grande preocupação né?

quinta-feira, 26 de maio de 2011

O Rock (hahaha) in Rio

Deixa eu rir antes de começar.

Hahahahahahahaha!
Hahahaaaaaaaaa!
Há!

Deu.

Então meu amigo Max sugeriu que eu escrevesse sobre o Rock (wtf?) in Rio, pra ele ver se surge uma inspiração para ele falar sobre este assunto também.

Eu queria fazer um post curto, mas acho que não vai dar, pque uma coisa puxa a outra e enfim, vocês vão ver.

Começando, eu não estava rindo da sugestão do Max, mas do que eu senti no ar ao ler ela. Havia algo sugerindo sarcasmo, ou até um certo desânimo e acho que eu não me engano, mas vamos lá.

Quando soubemos do Rock in Rio, eu e a Buki estavamos tri afim de ir. Eu, particularmente, esperava que confirmassem Foo Fighters, que definiria minha decisão.

Eu já não tinha muito respeito por fazerem Rock in Rio Lisboa, porque acho que Rock in Rio é no Rio, por mais que venham com o papo de que isso é uma marca e blábláblá... balela.

Então, quando começaram a anunciar as bandas, meu respeito pelo evento foi pro saco.

PORQUE ROCK, É ROCK, PO-HA!

Que história é essa de botar Shakira, Rihana e o raio que o parta que não é ROCK num evento cujo NOME fala em Rock???

Vocês já viram festival Sertanejo com banda de Rock tocando? Eu não! Primeiro porque a minha religião não permite que eu vá para um festival Sertanejo e segundo porque é assim que tem que ser: CADA UM NO SEU QUADRADO.

SE É ROCK IN RIO! QUE SEJA SOMENTE, UNICA E EXCLUSIVAMENTE ROCK N' ROLL! E QUEM QUER OUTRA MODALIDADE, QUE CRIE O AXÉ IN RIO, O FUNK IN RIO, A PORCARIA IN RIO, MAS QUE VÁ PROCURAR SUA TURMA.

Isso é um assunto que me deixa p.... da vida!

Qualquer coisa, hoje em dia, é Rock! As pessoas vestem rock e não sabem o que é! E contratam bandas que não tem nada a ver com Rock n' Roll para um evento de rock.

Cadê o respeito por nós, roqueiros? Eu não saio por aí boicotando festa que eu não gosto do som, simplesmente não vou e pronto!

Sim, eu sei que tem bandas boas, tipo Red Hot, Metallica etc... mas penso nos pobres coitados, tipo Sir. Elton John... um cara de respeito, com um nome e uma carreira brilhante a zelar, que foi colocado no meio de um monte de coisinhas da moda, que ninguém vai saber quem são daqui a 10 anos (sendo generosa). As pessoas que vão assistir ele, ou vão se irritar com o resto, ou vão gostar do resto e não vão saber what the fuck is Elton John!

Rock n' Roll virou mercadoria, infelizmente. Esta na moda e vende bem. Tanto que esta lá, na página de entrada do site do Rock n' Rio: ingressos esgotados em 4 dias.

Outro dia eu vi uma matéria de moda para adolescentes, falando sobre a moda rock n' roll e lá, ensinava a fazer uma maquiagem rock n' roll, dava dicas de onde comprar uma camiseta rock n' roll legal... só não falava o mais importante: VÁ CONHECER O BOM E VELHO ROCK N' ROLL, QUE TEM MUITO MAIS RECHEIO QUE ESSAS TRALHAS QUE TU ESCUTA E VISTA ALGO EM QUE ACREDITA.

É O FIM DA PERSONALIDADE MESMO!

Acabei.

E aí Max, inspirou?

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Só pra dizer

Não fugi
Nem morri
Nem virei ermitão (ou ermitona, como preferirem)
Não emagreci também, hahaha
Também não esqueci do blog e passo por aqui pra dar uma conferida, de vez em quando
Só estou sem assuntos escrevíveis por aqui

Pronto. Agora que eu me expliquei, posso pensar sem culpa no que escrever, rsrsrsr!

domingo, 17 de abril de 2011

Tá bruti!

Acho que essa é a frase que eu mais lembro de escutar a minha vó falando. Quando dava algum problema, ela largava um "É Giggia, tá bruti!".

A Vó Dalila faleceu na tarde da quinta-feira passada, dia 14/04. Ela morava aqui em casa, tinha 86 anos, uma memória afiadíssima e a gente apostava que ela passaria dos 100 anos fácil, fácil.

Então, quando soubemos que ela estava com Pneumonia, mesmo cientes de que isso é grave em idosos, tinhamos certeza de que a volta dela pra casa era apenas questão de dias.

Mas a vida tem dessas coisas de querer jogar na nossa cara que a gente não sabe de nada né...

Passei estes últimos dias como se estivesse em outra dimensão. Parece que agora começo a voltar ao normal. Na medida do possível.

Sem querer me prolongar muito, queria agradecer a todos que se fizeram presentes (fisicamente, ou por mensagens de todo tipo) em um momento tão difícil para a nossa família. Eu, que só tinha perdido minha avó paterna quando era bem mais nova, não tinha noção do quanto é reconfortante ver as pessoas que a gente gosta encarando um momento desses pra nos dar uma força.

Valeu pessoal!

segunda-feira, 11 de abril de 2011

As vezes é preciso reconhecer que a gente não dá conta do recado

Quando muita coisa esta acontecendo ao mesmo tempo e acaba faltando tempo pra fazer tudo, é melhor deixar de lado o que é menos prioritário.

No caso, a faculdade. Isso mesmo, larguei de mão. Ok, eu já sou formada e essa era minha segunda graduação, mas mesmo assim, não queria admitir pra mim mesma que eu iria desistir. Mas não conseguia mais ir para as aulas, nem tempo para estudar.

E querem saber? Foi bom! Foi ótimo! Foi a melhor decisão EVER! Parece que eu tirei um elefante das costas!

Agora eu tenho até tempo pra ler de noite! Ebaaaa!

Tô indo, inclusive, hehehe!

Tchaus.

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Mais uma de... aranhas.

Esse final de semana foi de matar (de susto).
Depois de passar um sábado a tarde tendo pesadelos com aranhas, quando acordei, descobri o motivo. Encontraram uma caranguejeira dentro da minha casa. Dentro. Da minha casa. Medo.

O pessoal gritava e acho que acabei sonhando com os demoninhos.

Enfim, ontem de noite, passando pelo corredor da casa, em direção ao meu quarto, percebi uma mancha ao lado do ar condicionado. Parei. Respirei fundo. Liguei a luz. Óbvio né... mais uma aranha. Chata. Grande. Fui chamar meu pai.

Então ele foi, naquela caaaalmaaaaa, buscar a vassoura pra matar. Eu me posicionei aos fundos, pra conferir a jogada, afinal, aranha sumida perto do meu quarto é perigo certo (já estava pensando em dormir fora de casa). Voltou, posicionou a vassoura e "flap"! Acertou. Digo, mais ou menos, ela deu umas corridinhas na parede.

Foi então que aconteceu. Ele prendeu a aranha na vassoura e, se achando o McGaiver, deu um arremesso com a vassoura, pro lado direito. Tipo, pros lados aonde eu estava, claro!

Eu não vi onde foi a aranha, nem ele. Antes de mais nada, conferi calça do pijama, pijama, meias, chão ao meu redor. Nada do bicho. Ele procurou nas escadas, na sala, no meu quarto, na vassoura... nada!

E eu entrando em pânico já! Um monstro daqueles perdido nas redondezas do meu aposento não ia dar certo!

Depois de muito procurar, ele encontrou ela na sala. Passou por mim com um bolinho preto amassado na vassoura - indistinguível, então, tive que ir atras pra conferir se aquilo era uma aranha morta ou conversa pra eu achar que ele tinha matado o bicho. Aranha morta = cadáver aparente e desmontado.

Ok, era ela, eu vi as pernas longe do corpo.

Assim ó: não querem morrer, fiquem fora de casa, ok aranhas? Até pque, gurias, março já acabou! It's OVER! Estamos em abril e vcs continuam querendo invadir a casa dos outros... po-ha, assim não dá né!

Que falta de noção de calendário que vcs tem, pô...

quinta-feira, 31 de março de 2011

Ozzy Experience

Gentem, o Ozzy é o cara!

Palhaço das trevas do metal, adoro ele! Ele me diverte - e com música boa, o que é mais importante!

O show dele foi perfeito, mesmo a gente tendo se mosqueado um pouco e perdido as duas primerias músicas, na fila, tentando entrar. E mesmo ficando numa parte da arquibancada não tão privilegiada, mas tudo bem, conseguimos ver um pouco da banda (vimos o Ozzy tentando sentar no balde d'água e levar um tombo, rsrsrrs) e mais importante, ouvimos a voz do mestre - que continua ótima!

O show começou cedo, terminou cedo, chegamos em casa cedo e deu pra dormir direitinho e ir trabalhar cedo e sem sequelas!

É, os tempos mudaram, pessoal. As coisas estão organizadas, só o Axl que não sabe disso.

E só pra completar:

Nós, comendo um cachorro-quente, quando chegam dois cabeludos monster, camiseta preta e cara de mau. Um deles... pede uma Fanta Uva. O outro, pede uma H2Oh.

E nós, nos olhando de lado, com aquela cara de "O que? É pegadinha do Malandro?"

- É, Manô, não fazem mais metaleiros como antigamente.

segunda-feira, 28 de março de 2011

U23D

Então pessoal, alguém já viu o filme 3D do show do U2?

Estavamos pensando em assistir no domingo, mas o único horário era lá pelas 21h em Caxias... ninguém merece voltar tarde no domingão né! Acabamos optando pelo filminho de invasão alienígena, que eu achei meia boca, mas teve até direito a barraco em pleno cinema, mas enfim, isso não vem ao caso.

O que importa é que esse filme do U2 foi filmado em... tchãrãrãmmmm... Buenos Aires, nos shows de 2006! E vocês sabem quem estava lá, curtindo a Hot Area beeem pertinho do palco? Eu e meus primos queridos!

Mas antes que vocês saiam por aí, chamando a família Lorenzi de metida por estar na área VIP de Buenos Aires, no dia 1º de Março daquele ano, quero aproveitar para deixar claro que isso foi fruto de, vamos ver, 8 horas de espera, até conseguirmos entrar no "curralito". Cheguei na fila às 8:00 da manhã. Os portões abriram às 16:00. Corremos de mãos dadas até a Hot Area, espaço que estava aguardando os fãs sofredores que aguentaram firme na fila. O show da Franz Ferdinand, lembro que começou às 21:15.

Nós vimos que haviam cartazes dizendo que estavam gravando imagens para um filme em 3D e que nossas pessoas poderiam ter suas faces utilizadas no projeto.

Ainda não vi o filme e não tenho esperanças de me enxergar por lá, mas certamente vai ser muito nostalgico assistir novamente a um show que foi inesquecível!

O Max, que é grande, deve aparecer. A Sil, que estava sendo esmagada na cerquinha, também acho que aparece. Eu fiquei dando banda nos fundos da Hot Area, tomando coca-cola e fugindo do Bono como estratégia para ver os outros integrantes mais de perto.

Nessa jogadinha, eu e uma turminha de gurias conseguimos ver o Adam Clayton a uma distância de 2m e ele, mais do que simpático, mandou beijinhos pra gente. Pura emoção! Depois o Larry pegou os batuques e foi praqueles lados também. Então chegou o Bono para seu momento Cohexist e a multidão se atrolhou por lá.

Vou escrevendo, lembrando e ficando com saudades daquele dia em que tudo deu certo. Mas acho que um show do U2 foi o bastante. Valeu a pena, mas nos estressamos demais até termos os ingressos em mãos, por isso, nem pensei em tentar ir para os shows deste anos. Se tivesse um em Poa, quem sabe.

Queria colocar algumas fotos aqui, mas eu estava com uma máquina descartável, então, só no filme né... fica pra outra oportunidade. Preguicite aguda de scannear as fotos, rsrsrs!

PS: eu tava de cabelo curto e com um boné de um lava-rápido que peguei emprestado do meu irmão, hehehe!

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

E aqui estou eu, dividida entre duas paixões.

Foi só deixar meu irmão sair do carro que começou a encrenca.

- Não acredito que tu teve coragem de fazer isso comigo.
- Não fiz nada.
- Fez, e nem tentou esconder de mim! Judas!
- Ah para, foi só um orçamento!
- "Mimimi, foi só um orçamento!" tu deu meus documentos pro cara!
- Cotações, xuxu. Só queria saber quanto pagavam por ti...
- E quanto faltava pra comprar aquela coisa amarela me dando de entrada. Golpe baixo Manô... isso foi muito subsolo da tua parte.
- Ike, babe, tu sabe que eu te amo né!
- É foi beeeeem isso que eu percebi.
- Questão de necessidade, só isso.
- Necessidade? E todos os anos que passamos juntos? Eu nunca te decepcionei!
- Eu sei.
- E o trocadilho "Ka prata, mulher gata", tu nunca mais vai poder usar, pensa nisso!
- Não joga baixo comigooooo!
- Eu notei que tu tava muito quieta. Saiu de Bento e esqueceu de ligar o rádio. Tu esqueceu de ligar o rádio! Óbvio que tinha boi na linha! Aí depois te ouvi contando pro teu irmão que tu sonhou com o Uno novo a noite inteira! Sonhou que estava na revenda e tinha até argumentos pra negociar com o cara... isso partiu meu coração!
- É, foi maus. Mas é só uma ideia, Ike, nada definitivo. Nem pra agora. Eu também fico triste em me separar de ti, não pensa que é fácil. Eu me sinto uma traidora, mas vai chegar a hora em que eu vou ter que trocar de carro.
Silêncio.
Silêncio.
Mais silêncio.
- Tá... mas me diz aí... me avaliaram bem? Hehehe.

É isso aí gente, acho que deu pra notar que eu tenho um certo apego pelo meu carrinho né? Estou pensando na possibilidade de trocar ele por um Uno novo amarelão, mas é tão difícil pensar em deixar o IKE!!!

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Top 5


Eu estava no Joe, quinta-feira passada. Acho que já passava das 3:00 da manhã e eu havia tomado algumas cervejinhas. Eu estava bem, consciente, longe de estar tonta, mas falando pelos cotovelos e, com uma amnésia incrível! Nunca confundi tantos nomes - de pessoas, bandas, músicas, personagens, enfim, eu pensava uma coisa e falava outra.

Então, a pessoa com quem eu conversava, me torturou com a seguinte pergunta:

Qual é teu Top Five de filmes?

Eu com amnésia alcoólica (não penso em outro culpado, senão o álcool), imaginem a dificuldade! Só conseguia lembrar que amava Vida de Solteiro, mas tentava pensar em outros filmes e... branco geral! Não lembrava de nada! Acabei nem conseguindo formar a minha listinha, não tinha condições. Mas, assim como eu - e a maioria das pessoas - não sossego enquanto não lembro um nome, fiquei até hoje com essa pergunta sobre os filmes martelando minha cabeça.

Aqui estão, então, meus 5 filmes favoritos:

1 - Vida de Solteiro - porque é bom, porque aparece as bandas que eu adoro e porque foi feito na época mais importante da minha vida - provavelmente na época em que comecei a formar minhas opiniões e gostos musicais.


2 - O Poderoso Chefão - sem maiores comentários, quem assistiu sabe o quanto é bom!


3 - Drácula de Bram Stoker - phoderoso! Não canso de assistir!


4 - Tenacious D - é muito engraçado!!! E o diabo é o Dave Grohl (se a Buki não tivesse me dito, não teria adivinhado).


5 - Julie & Julia - divertido e dá uma vontade de cozinhar!!!


Fora outros tantos que eu adoro (como O Labirinto, hahaha), acho que ali estão 5 de vários gêneros. Acrescentaria também o filme Sinais e Guerra dos Mundos, mas não sei quais tirar da lista pra isso, então, fica assim mesmo. E tem A Casa das Almas Perdidas que é o filme mais assustador que já vi, muito bom também... e 500 Dias com Ela, mas enfim né... chega!

Também fui questionada sobre meu Top Five de bandas, mas esse eu fui respondendo aos poucos (um grito, lembrando de mais um nome da lista "David Bowie!!!!"), então, o assunto já foi resolvido, hahaha!

E o Top Five dos filmes de vcs, qual é?