domingo, 14 de novembro de 2010

Diálogando com crianças 1

Minha sobrinha olhou pra minha gata e disse:
- Quando eu era pequenininha e tava na barriga da minha mãe, a Pomponete (gata da Uli) chegou perto e disse "rooooaaaaarrrrrrr".
- E tu escutou? (eu jurava que ela ia dizer que sim)
- Não. Eu tava dentro da barriga da minha mãe né.
- Faz sentido.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

AP/DP


Gente, seria repetitivo ficar falando sobre como o show do Paul McCartney foi maravilhoso! Vocês devem ter lido jornais, visto na internet e tal, mas eu PRECISAVA dar meu parecer, então, será resumido.

Eu, que sou bem chata nesse lance de shows, quando se trata de analisar a organização e a apresentação da banda que quero ver, posso dizer que foi um show perfeito! A organização foi ótima!

Na verdade, eu estava achando, antes do show, que estava tudo exagerado demais! Aquela coisa de contagem regressiva na Zero Hora, propaganda na tv o tempo todo... 2 helicópteros e dois aviões sobrevoando o estádio quando chegamos, um destes aviões com uma faixa "welcome paul mccartney"... parecia demais pra minha cabeça. Eu pensava: ok, ele é um Beatle, a carreira solo dele é ótima (um dos grandes motivos de eu ter ido no show), mas parece muita babação de ovo em cima do Beatle que sempre foi taxado de "o certinho" pelos adoradores do John Lennon (não me incluam nessa). Será que ele vale mesmo tanto vuco-vuco? Será que ele vai dar conta de tamanha expectativa?

Bom, o caso é que, logo nas primeiras músicas, eu já estava rendida, querendo me ajoelhar aos pés do Paul pra pedir perdão ter duvidado dele! Ele simplesmente é "o cara"! Simpático, humilde e em plena forma para fazer mais muitos shows! Sem falar na pontualidade, que demonstra o respeito dele pelos fãs (coisa que o Axl Rose desconhece).

O show foi emoção à flor da pele, do início ao final. Muita risada e muita choradeira também. Eu, que sou tri durona, me lavei quando ele tocou Something para o George.

Inesquecível, inexplicável, simplesemente único. Impossível colocar em palavras o que foi aquela noite.

O vuco-vuco não foi exagero. Ele superou absurdamente as expectativas de todos!

Como li na Zero Hora de ontem, voltamos ao ano zero, pois agora, o tempo pode ser marcado como Antes de Paul / Depois de Paul.

Será que ele tem noção do quanto ele fez e faz bem para as pessoas?

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Como enganar Murphy



Agora eu vou revelar um segredo, fruto de anos de estudo particular. Prestem atenção... porque é praticamente uma das chaves para os mistérios do universo.

Todo mundo conhece as famosas Leis de Murphy, certo? Elas consistem, basicamente, no fato de tudo o que precisa dar certo, acabar dando errado. E como evitar isso? Vejam a seguir:

Caso 1:

Em 2005, quando voltei do show do Pearl Jam, mandei revelar o filme das fotos do show. Nessa época, já existiam máquinas digitais, mas eu demorei tudo o que pude na troca dessa tecnologia porque a máquina de filme tira foto muito, mas muito melhores (e não engorda as pessoas como a máquina digital - fato comprovado em curso de fotografia, não é desculpa, ok?). Enfim, eu havia comprado um filme preto e branco para esse show. O filme preto e branco era caro, mas as fotos ficavam lindas. Então, mandei revelar em Bento Gonçalves.

Passaram-se dois, três dias e nada das fotos ficarem prontas. A desculpa era que o filme havia sido enviado para Caxias, pois as revelações em papel fosco, eram feitas lá. Eu, que já estava com as fotos da máquina do John impressas, fiquei esperando minhas fotos preto e brancas para poder montar o álbum. Se eu montasse o álbum só com as fotos que já tinha, teria que mudar tudo depois, porque sempre obedeço a ordem cronológica e, na ordem das coisas, essas fotos ficariam todas misturadas.

Resumindo a história, a Scalco enrolou tanto, que um dia eu liguei pra eles e botei o pessoal na parede:
- Vai demorar quanto pra vcs admitirem que houve um problema com o filme ou que vocês perderam ele? Essa história de revelar em Caxias não esta convencendo ninguém!
E foi assim que eles admitiram que haviam perdido o filme.

Leis de Murphy.

Aí eu parei e pensei: aposto que, se eu arrumar o álbum sem aquelas fotos, elas vão aparecer em breve, só pra eu ter que arrumar tudo de novo!

Foi isso que eu fiz. O joguinho de Murphy pra conseguir o que eu queria.

As fotos foram encontradas no dia seguinte.

Caso 2
No Encontro de V8 de 2008, o domingo foi o dia mais movimentado e bagunçado da história do nosso bar. Muita gente, todos juntos, ao mesmo tempo e só um caixa no bar.

Este ano, nos preparamos com dois caixas para o domingo. E o movimento não aumentava! A gente estava praticamente saindo no tapa pra atender quem chegava no bar, hahaha!

Aí eu lembrei:
- Xanda, vamos usar a Lei de Murphy! Vamos fechar um caixa, tu vai ver como vai lotar esse bar.

Não deu outra. Assim que juntamos os dois caixas num só, começou a chegar gente no bar - e tivemos que dividir os caixas de novo, pra dar conta da coisa.

Caso 3

Sábado, eu em casa, esperando o pessoal da locadora ligar pra dizer que eu podia ir buscar a quinta temporada de Supernatural e nada de ligação. O caso é que eu estava tri afim de tirar minhas botas e me jogar no sofá! Só que, era óbvio, assim que eu fizesse isso, o telefone tocaria, eu precisaria levantar do meu descanso, colocar as botas e sair de casa!

Então pensei: o quanto antes eu fizer isso, mais rápido será para eu poder assistir a temporada!

Tirei as botas e me joguei no sofá.

Foi ridículo! Eu mal tinha cruzado as pernas em cima da almofada, o telefone tocou e, claro, era da locadora!

Sacaram?

Murphy quer dar trabalho. E ele consegue! Mas nós podemos vencer ele no tempo que isso vai levar! Ficar evitando as leis, só vai retardar os processos, então, vamos fazer o que Murphy quer!

Bingo!

Tentem e me contem depois, é batata!