segunda-feira, 29 de março de 2010

Eu quero comentar, po-ha!

Oh, Blimbou?! É, tu mesmo! Aquele do blog de Rock e do outro blog novo - Blog do Blimbou!

Faz favor de dar um jeito naquela merda de janelinha de comentário! Eu não aguento mais tentar comentar e não conseguir! Eu me sinto frustrada!

Até porque, eu tenho a resposta para o mistério da cueca por cima da calça! Que tu só vai saber se for beeeem querido e resolve o probleminha lá!

Não me faça virar Tiffany de novo, hein... humpf!

domingo, 28 de março de 2010

Tiffany

Adorei ser Noiva do Chucky por uma noite!




Polas, tua festinha estava "supimpa"!!! Parabéns!

terça-feira, 23 de março de 2010

É isso que eu chamo de...

..."ter um sorriso iluminado"!


Casamento da Cris Moraes rendendo momentos incríveis!

Em tempo

Hoje soube que, inacreditavelmente, só quebrei dois copos.

Das duas, uma:
1 - é mentira pra eu me sentir "menos pior"
2 - o chão do bar é de espuma!

:/

segunda-feira, 22 de março de 2010

Tendência ao Desastre

Vcs sabiam que eu tenho um lado tímido e com tendência ao desastre?

Pois é... olhando assim, não parece. É que eu tenho esse jeito barulhento de ser quando já estou à vontade em um ambiente, mas, antes disso, eu fico completamente envergonhada e quando eu fico envergonhada é que a bagunça começa.

Exemplo bem básico e que, obviamente, já aconteceu comigo (acho até que mais de uma vez) é aquela situação em que eu saía com as amigas pra dançar e quando a coisa estava ficando divertida, batia no braço de alguém, a bebida saia voando e várias pessoas ficavam molhadas. E eu, com vontade de me enfiar num buraco.

Também teve uma noite em que eu estava dançando Footlose e o meu sapato saiu voando dentro do bar.

Enfim, são várias as situações e eu nem sei eu conto isso aqui por falta de assunto ou o que. Acho que enquanto dá pra rir com essas coisas, contar o mico vale a pena.

A minha última façanha foi semana passada.

Fui para o Joe no sábado de noite, tinha Vera Loca tocando, então, aproveitei porque a festa seria boa. Quando eu cheguei, fui para a parte detrás do balcão, para cumprimentar o Joe e dar um abraço no Jesus (o Tigre). Lá no cantinho do bar, mas na parte de dentro, tinha um banquinho, que estava bem em frente aos meus amigos, que estavam do lado de fora do balcão. Como eu ficaria por lá, aproveitei para sentar no banquinho vazio. Explico: eu me sinto muito mal em ficar na parte interna do balcão porque sempre parece que eu estou atrapalhando, então, evito ao máximo (perceberam o sentimento de vergonha no ar?). Mas aquela noite eu resolvi sentar naquele banquinho, porque ele estava num lugar onde o pessoal do bar não transitava e eu, teoricamente, não seria notada.

Na frente do banquinho, pendurado no balcão, estava o saco de lixo das latinhas, depois dele, estava o balde de lixo das garravas. Eu quase estava me sentindo útil, já que eu ajudava a colocar as garrafas e latas vazias do balcão no lixo. Algo do tipo "se tu vai sentar dentro do balcão, ao menos seja útil!"

Então que um dos meus amigos, tempinho depois, comenta:
- Bah, bem que o Tigre podia tocar Guns né?! Já que vai ter show na terça...
E eu, megaprestativa, digo:
- Pois é... deixa que eu peço pra ele, já que eu estou mais perto!

E me levantei. Só que (suspense no ar... agora vem!) meu sapato do pé esquerdo, não sei como, ficou preso no saco de lixo das latinhas! Eu tropecei.

Mas calma, a coisa piora! Porque eu tive o brilhante reflexo de me segurar na pia pra não cair. E a pia... bom... a pia estava cheia de copos... copos de vidro... que eu empurrei pro chão, lógico!!!

Mas não caí!!! Só fiquei roxa, verde, amarela, pink com glitter, de tanta vergonha!

Comecei a rir (pra não chorar, acho) e disse: "ninguém viu nada, isso foi ilusão de vocês!"

Lembro de ter escutado duas coisas:

1 - Alguém que gritou "terremoto!!!"
2 - Alguém mais conhecido que gritou "...e ela não caiu! Se vê que é Pietta!"

Penso se não teria sido melhor eu ter me jogado no chão e chamado a ambulância, afinal, se é pra causar, que se cause MESMO!!!

Entenderam? Sempre que eu tento passar despercebida, acontece algo espalhafatoso comigo, é um inferno!

Buki, lembra de ver quantos copos eu quebrei, please!

quarta-feira, 17 de março de 2010

Guns n' Roses Poa 2010 - eu fui! E me arrependi!

Este não é um post falando bem do show, então, quem gostou, por favor, se retire, antes de qualquer ofensa.

Porque eu vou xingar! E eu tenho conhecimento de causa pra fazer isso, sendo que acompanhei o sucesso do verdadeiro Guns n' Roses e era devota da banda. E também levando em consideração a bagagem de shows que tenho, para poder julgar o que é bom e o que é podre.

Então, antes de sair por aí falando que quem não gostou do show é recalcado, analise seu conhecimento sobre a história da banda e os fatos que envolvem a saída dos integrantes originais.

Eu sei que tem gente pouco se lixando pra quem é o resto da banda e que defendem que a voz do vocal é o que interessa. Acha isso? Fuck you! Este é um post grande, egoísta e não estou afim de saber o que os outros pensam, se for o contrário do que eu penso. Sacaram né? Isso é monarquia e a rainha sou eu, hahaha!

Vamos aos fatos:

Chegar na fila imensa, desorganizada e localizada no acostamento da freeway, onde os carros passavam em alta velocidade não é o que eu chamo de "organização" de um show. Pelo contrário.

Tentaram vender camisetas "eu fui", mas peguei uma básica (sempre compro uma camiseta, é tradição), só com o nome da banda, porque, sabem... ninguém garantia que houvesse um show, tratando-se de Axl Rose.

Conseguimos chegar na pista em torno das 21h. Então, alguém foi pro palco avisar que o show sofreria atraso de aprox. 1 hora. Para um show que tinha horário de início às 21:30, acho que 23:45 não foi exatamente 1 hora de atraso.

Sem falar que o local tinha sido alterado e os ingressos de arquibancada que eu tinha viraram pista. Ficamos em pé esperando, com dores nos pés, cansaço e frio (mesmo com casaco).

23:45 começou o show do Rosa Tattooada e o público brabinho vaiou a banda, que nada mais fazia do que tentar diminuir a espera dos fãs. Fiquei com pena deles, porque a intenção realmente foi boa e o Rosa Tattooada é uma banda muito boa, competente, profissional e com alta presença de palco. Enfim, tocaram três músicas e saíram do palco para a entrada do Sebastian Bach.

Sebastian Bach, ou "O Barbie", como eu chamava na minha adolescência, quando os fãs de Guns tinham uma pequena richa com os fãs de Skid Row, sempre discutindo quem era a melhor banda, foi quem salvou a noite! Completamente em forma, o cabelão de sempre, calça de couro, muita agilidade, simpatia e várias explicações em português com sotaque Hard Rock (o nosso equipamento... foi destruído... no Ruuuiiiiioooooo); o cara comandou algo em torno de uma hora de show. Foi bastante, considerando que era apenas show de abertura, que não costuma durar muito. Obviamente, estava tapando furo do Axl que: ou estava tendo uma crise de purpurinice, ou ainda não havia chego. Segunda opção confirmada após o show.

Então, 01:48 começa o show e heis que Axl Rose dá o ar da sua desgraça. O que acontece? Todo mundo (nem tooodo mundo, eu tava xingando, claro, haha) grita louco, aplaude, lambe o chão... pro cara que deveria ter sido vaiado!

O que era aquilo? Uma mistura de Rei do Gado com Michael Jackson? O cara tava todo tapado, não tinha mais voz e não se dignou a pedir desculpas pelo trantorno causado! Por que? Porque os idiotas que esperam 14 anos pelo lançamento da piada do rock, podem, muito bem, esperar 4 horas pelo bunito! Afinal, ninguém veio de longe, ninguém tinha que trabalhar no dia seguinte e, obviamente, o fato de que bandas precisam de fãs também não conta. Respeito zero.

Então, juntando todos esses motivos, com o histórico dele de atrasos, desrespeito e descaso com a banda e com os fãs, pensei:
- Putaquipariu, por que é que eu estou aqui? Porque é que eu cogitei dar uma chance pra esse idiota? Ele merecia que os fãs o ignorassem por tudo de errado que ele fez e continua fazendo!

Mas, gente, não foi só isso. Tudo o que eu pensei de ruim que pudesse vir com esse show - e tinha a esperança de me enganar redondamente - se confirmou de forma grandiosa.

Quem me conhece, sabe que pra mim, Guns sempre foi mais Slash do que Axl. Então que eu me deparo com um guitarrista ridículo - o tal do DJ Ashba - tentando imitar o Slash! Não, não era impressão minha, eu fiquei olhando, pasma com o que estava vendo! Cartola, guitarra, o cigarro na boca que, depois, era preso na guitarra, a forma de balançar o corpo e a perna esquerda, dando a impressão de que estava dançando (tudo o que eu achava de sexy no Slash)... tudo, TUDO era uma cópia do Slash. Meus olhos se encheram de lágrimas... DE ÓDIO!!!

Tinha outro guitarrista - vejam bem: 03 guitarristas pra tentar tapar o furo monster que o Slash deixou (e o Gilby também, querido) - que até tinha estilo, assim, na primeira olhada.
- Me lembra um pouco o Marylin Mason - falou meu amigo.
- Não, pior... lembra o Izzy! - me dei conta na hora.
- Bah, Manô, pior que é uma cópia do Izzy mesmo!

Então, na segunda música, eu já queria fugir. Mas, claro, devia ser implicância minha, então, fiquei quieta e tentei aguentar mais. Até achei que as músicas do Chinese Democracy caíam melhor neles do que as antigas. Tentei ver o lado bom da coisa. Mas não tinha!

O Axl Rose esta acabado! Um bolão, sem noção, que não consegue mais se movimentar, não tem voz e continua o mesmo escroto!

Aí eu percebi que a Rê e o Guto também estavam paradinhos.
- Guto, tu não tem a impressão de que o Axl tá num pesadelo daqueles que tu tenta correr e não consegue?
- Hahaha, verdade! Cara, por mim, eu ia embora!
- Eu também, tô achando uma merda! O que é isso? - falou a Rê, indignada.
- Bah, achei que era coisa da minha cabeça! - respondi
- Eu quero ver mais uma das antigas e depois, por mim, volto pro micro... tá muito frio, não vale a pena esse sofrimento todo por uma porcaria dessas! - o Guto.
- Nem me fala! Cada vez que eu vejo o guitarrista imitando o Slash, tenho vontade de vomitar. Não tem mais nada que eles possam fazer, que me surpreenda. - falei.
- Bem isso mesmo! Ainda bem que teve o Sebastian Bach pra salvar a noite... - completou a Rê.

Então tocou You Could Be Mine e nós fomos embora. Eram 2:30 e o show durou até 4:10. Para a nossa surpresa - e eu fiquei bem feliz em ver isso - encontramos MUITA GENTE braba, saindo do show!!! Pessoas descontentes com o que estavam vendo e também pessoas que não podiam mais ficar, porque, tipo assim, trabalhavam no dia seguinte né! Mas o comentário geral era de decepção com uma banda que devia, no mínimo, ter trocado de nome e deixado seus integrantes com personalidade própria. Como fez a Velvet Revolver - a banda dos foragidos do Guns antigo - que é muito boa e original! Ao menos não fica com aquele peso de ser Guns n' Roses, porque, vamos combinar, Guns n' Roses, banda épica dos anos 80 e 90 acabou! Game over! Só falta o Axl entender isso (e largar dessa vida de rock star, pelo bem dos fãs).

Chegamos em casa às 6:30 da manhã. Eu havia conseguido a manhã de folga, graças ao Banco de Horas, mas meus amigos, na sua maioria absoluta, foram trabalhar sem ter conseguido dormir. Graças à falta de consideração do bolão. Que não venha botar culpa no palco do Rio, pelamordedeus!!!

Se, no passado, alguém me dissesse "Manoela, em 2010 haverá um show em Porto Alegre onde o público vaiará Rosa Tattooada, Sebastian Bach abrirá para a banda principal, deixando-a encantada com ele e, para completar, a atração principal será Guns n' Roses, com apenas o Axl da formação original e você sairá do show quase chorando de saudades do Slash" - a única coisa que faria sentido seria "chorando de saudades do Slash", porque o resto, acharia uma grande piada.

Piadas à parte, na saída, quase compramos uma camiseta "eu fui", só pra escrever embaixo "e me arrependo" .

Como disse aquele cara que encontramos no posto: "Pra quem gosta de merda, foi um prato cheio esse show do Guns!"

Tchurminha indo para o show.

Nini, Guto, Rê e eu - e o palco no fundo. Ainda estava cedo.

É que quando não se tem mais o que fazer, de tanto esperar, as pessoas começam a pensar coisas do tipo "como seria a visão de um anão?" - acho que seria mais ou menos assim.

Representantes de 28 de Janeiro, duvidando do bolão.

Leitura sugerida para tirar suas próprias conclusões sobre Axl Rose e Guns n' Roses (não é intriga da oposição, as histórias fecham com os acontecimentos da época) : Slash - Slash por Anthony Bozza.

Pra finalizar, uma sugestão pra quem é do Rio de Janeiro (Ruuuiiiiiiooooooooooo), onde o show foi remarcado por causa do palco destruído pela chuva: vá para o show se quiser ver o Sebastian Bach, porque é o que vale do show. Se eu fosse vocês, pedia o dinheiro de volta.

Ah, falando em Sebastian, um show só do Barbie até que ia bem, agora que eu virei fãzóca dele, hehehe!

terça-feira, 16 de março de 2010

Acho que todos, ou a maioria, aqui, já assistiu Friends, certo?

Bom, para quem perdeu o episódio em questão, Unaghi foi um método adotado pelo Ross, que significava, resumidamente, estar sempre pronto para o que pudesse acontecer, de modo que as situações não o pegassem desprevinido.

O mês de março esta na metade e, para os aracnofóbicos de plantão, este é o mês-pesadelo de cada ano! Por que? Porque em março, começa o frio (que eu amo) e as aranhas correm para os lugares menos frios (leia-se "a sua casa") para se proteger. Dizem que isso também acontece em função do acasalamento e, por isso, muitas vezes, ela são encontradas em duplas - o que aumenta meu pânico ainda mais. Sacaram que eu conheço o inimigo né?!

Então, o que eu queria dizer, é que eu estou meio cansada de estar Unaghi o tempo todo! Porque mesmo estando de prontidão, sabendo que elas podem estar em qualquer lugar, elas sempre surgem onde menos se espera! Isso é um saco!

E quando eu falo em "onde menos se espera", isso inclui lugares absurdos, como:
- na tábua de passar;
- em cima de uma batata (sim, batata);
- no cano do fogão à lenha;
- no corrimão das escadas;
- dentro do tapete que fica no box do banheiro (isso rendeu um box quebrado);
- entrando no porta-malas do carro;
- na portinha do forno do fogão;
- dentro de uma cueca (fato verídico - e falo de aracnídeos mesmo)

Isso sem falar nos lugares triviais, como paredes, chão de casa, janelas, etc...

É realmente muito ruim ter medo de aranhas. Eu chego a pensar que elas se materializam pra quem tem medo, porque mesmo depois de conferir tudo, quando tu te vira, tchãnãããmmmm, lá esta ela, no único lugar em que tu não olhou! E não adianta virem falar em terapia, porque, em algum ponto da terapia, vão envolver uma aranha viva, logo, terapia esta descartada. Outra: na minha casa, em função da vegetação e do rio que corre nas redondezas, as aranhas não são simplesmente aranhas, são aranhossauros! Verdadeiros monstros que nem terapia poderia ajudar!

Também não venham com papo de que matar aranha dá azar. Como diria minha tia: Não preciso de sorte de aranha! - e, convenhamos, que bela sorte ter um box quebrado né, uma pessoa infartada...

Ah, lembram das aranhas da garagem? Bom, o Jimo Gás acabou com elas! Jimo Gás, I love you!!! Eu seria garota-propaganda da Jimo, sem cobrar cachê!!!

E como se já não bastasse ficar Unaghi por causa das aranhas, ainda tem que ficar por causa do Axl Rose. Sim, porque eu ainda tenho minhas dúvidas de que esse cara vai entrar no palco hoje de noite, mas mesmo assim, vou lá pra conferir.

Se ele demorar muito, pego minha trouxinha e vou pro Dream Theatre.




Fonte da tirinha: www.garfield.com

domingo, 7 de março de 2010

Aquele tipo de música

Caso eu ainda não tenha dito isso por aqui, quero deixar bem claro que acho Big Brother uma grande merda e uma tremenda perda de tempo. É o tipo do programa que eu não assisto por vontade própria.

Ontem à noite (sábado), resolvi acompanhar minha tia e assistir um pouco, já que ela me chamou, dizendo que eles estavam numa festa temática dos Beatles. Bem legal a festa (tirando as pessoas): a decoração era toda psicodélica e a banda cover dos Beatles era legal. Tocaram algumas das músicas mais conhecidas, sabem, aquelas que esta todo mundo careca de escutar. E tinha gente que não sabia cantar... sério! Tinha cara cantando errado (muito errado, umas coisas nada a ver) e as gurias ficavam bebendo naquele estilo "vou beber pra ninguém notar que eu não conheço a música". Até pensei "ai Manoela, deixa de ser preconceituosa e achar que eles são todos idiotas, numa dessas elas só estão bebendo porque querem beber, não porque não conhecem Beatles!".

Então a festa acaba e eles voltam pra casa. Um dos guris comenta que a festa foi rápida. Neste momento, uma das gurias, pra assinar embaixo da concepção que tenho desse programa, larga:

- Também, eles deviam saber que tocando aquele tipo de música, a festa ia ser fraca.

Beatles, cocota! Beeeaatllllleeeesssssss!!!!!!!!! Não é "aquele tipo de música", é Beatles!

Levantei.

- Bom, DEPOIS DE ESCUTAR ISSO, só me resta ir dormir mesmo!

Sério, do jeito que as coisas andam, o mundo terminar em 2012 não é uma má ideia.