sexta-feira, 31 de julho de 2009

Besteirinha útil

Hoje eu tenho uma festa de aníver em Bento.

Quando eu tenho que dirigir, não bebo, ou bebo muito pouco.

Mas sabem o que eu mais queria hoje? Uma garrafa de Stella falsa, que fingisse estar gelada e tivesse uma imitação de cerveja dentro dela. O líquido poderia ir até a boca da garrafa mas não sair, aí eu poderia fingir que estava bebendo algo e teria meu ponto de equilíbrio garantido.

Ou sou só eu que me sinto completamente perdida sem um copo ou uma garrafa para segurar?

:/

segunda-feira, 27 de julho de 2009

E quem explica?

Na noite de sábado para domingo eu sonhei que encontrava uma amiga minha dos tempos de escola. Eu estava em uma loja, provando uma roupa e ela apareceu. O encontro foi a festa de sempre, falamos alguma besteira e rimos muito. Realmente estranho ela aparecer em um sonho, sendo que eu não encontrava ela há muito tempo.

No domingo de manhã, entrei no orkut e? Lá estava ela, me adicionando como amiga.

Coincidência, não?!

Tem mais!

Então eu lembrei de uma conversa com a minha colega, na quinta-feira, logo depois do almoço.

Ela começou a conversa perguntando se eu lembrava que ela havia comentado que já não sonhava com o pai dela (falecido em janeiro) há algum tempo. Disse que sim, ela havia mesmo dito isso há pouco tempo.

Então ela contou que havia sonhado novamente. O sonho era estranho, até então, por isso ela não havia tocado no assunto. Ele apareceu para ela com uma nota de 25 reais (sim, uma nota de 25 reais) e disse pra ela pegar aquele dinheiro e comprar um chinelinho pra mãe dela, porque ela estava sem.

E naquele mesmo dia, quando ela foi almoçar na casa da mãe dela e contou sobre o sonho, ficou surpresa com a reação que causou, porque, chorando, a mãe dela disse que havia saído de casa no dia anterior, para comprar um chinelinho barato e não havia encontrado.

Coincidência demais para ser coincidência?

Quem explica essas coisas?

****************

EM TEMPO: a cirurgia do Elvis foi um sucesso e ele já esta em casa, todo faceiro. Agradeço pelo apoio de todos, mais uma vez. Até confesso que fiquei surpresa com o carisma do guri, porque muita gente ligou para mim na sexta, querendo saber notícias dele e hoje, "Como esta o Elvis" foi a pergunta do dia (até a esposa de um chefe ligou querendo notícias - se ele souber, vai ficar mais metido ainda).

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Boletim Hespitalar do Elvis

Sim, quando eu era pequena, eu falava "hespital". E também atendia o telefone dizendo que era da "resistência do Roberto Lorenzi", ao invéz de residência, hahaha.

Mas enfim, deixemos as piadas de lado porque o assunto é trágico.

Os danos cerebrais do Elvis foram descartados, ou seja, ele não vai ficar mais louco do que já era, que bom!

O olho dele também não sofreu ferimentos e a visão está perfeita - ótimo!!! \o/

Masssss... quebrou o osso da frente da mandíbula dele, que deixou o lado esquerdo da boca separado do lado direito.

Então, assim que conseguirmos hora, ele será levado para Caxias para ser operado. O Elvis vai ganhar um pino no queixo. Aproximadamente 3 horas de cirurgia. E vai passar o final de semana hospedado na clínica.

Tadinho do Pelvis, tomara que chegue segunda-feira logo e ele volte pra casa.

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Eu tento achar que a humanidade tem salvação, mas...

Um casal que passou muitos anos junto se separa.

Separação turbulenta, muita confusão e heis que alguns vários meses depois, as coisas parecem acalmar.

Então acontece algo estranho.

Uma amiga da moça deixa um depoimento no orkut dela, falando que acha legal a capacidade que ela tem de lidar com uma separação que foi tão delicada e sair por cima, tão feliz e decidida, já com um novo amor, sem se importar com os cruéis olhos da sociedade.

No dia seguinte, descobre-se um depoimento no orkut do rapaz. Um depoimento da mesma amiga. O depoimento falava que tinha sido uma pena eles não terem se encontrado na festa do sábado e que seria ótimo revê-lo, desejando-lhe uma ótima semana e vários beijos!

Eu estou tentando com todas as minhas forças não jogar essa amiga da amiga no buraco da podreza humana e esperar para ver o desfecho da história, achando que, no fundo, as pessoas são do bem - mas isso está sendo muito difícil.

A minha amiga, por sua vez, não só jogou a fulana no buraco, como finalizou com a pá de terra por cima.

Agora, o Elvis.


Os nossos bichinhos de estimação nunca tiveram problemas.

Então aparece uma bola estranha na Giggia - que não era nada, ainda bem - e, como se não bastasse, o Elvis (nosso cachorro) acaba levando uma pancada na cabeça.

Melhor dizendo, o Elvis levou uma mamoeirada na cabeça. Maldita mania que ele tem de ficar junto, conferindo tudo o que acontece, sobrou pra ele quando o mamoeiro foi cortado.

Apesar de soar engraçado "caiu um mamoeiro na cabeça do Elvis", a pancada que ele levou foi forte e ele se machucou bastante, tanto que precisou ser levado às pressas para a veterinária e lá acabou passando a noite.

Peste de cachorro que tem o latido mais irritante que eu já escutei, que tem medo do chão da cozinha, tem medo de temporal e tem medo de várias outras coisas absurdas e que não tem noção da força que tem, nem do fiasco que faz os donos passar.

O Elvis adora ficar na frente de casa e ninguém resiste ao seu charme. Ele conhece mais gente na cidade do que eu. E as pessoas conhecem ele pelo nome! Pior que isso, elas conhecem tanto ele, que, quando ele foge, a gente recebe telefonemas informando o paradeiro do guri!

Ele é grande mas é completamente bobalhão e ingênuo. Ele corre de qualquer poodle que mostrar os dentes pra ele (é constrangedor), mas, ao menos desistiu de sair encoxando todo mundo, como fazia antigamente.

E ele também finge que não é o Elvis, como na noite em que saímos para ir pro Joe e ele estava na frente de casa. "Elvis, vai pra casinha!" - e ele, sentado atrás de um arbusto, só com a cabeça pra fora, olhando pros lados como se não fosse com ele. Idiota.

Entenderam a relação de amor e ódio? Ele me irrita mas eu adoro ele! Ele é chato mas é legal!

Ontem fomos ver ele, ele consegue caminhar e abana o rabo pra gente. Foi direto deitar a cabeça no nosso colo e tremia muito, com aquele olhar de "ai, eu tô mal!".

Agora estamos esperando o próximo boletim hospitalar dele, já que não estava descartada a possibilidade de ele ter sofrido alguma hemorragia interna e também havia suspeita de que ele tivesse quebrado o maxilar.

Tomara que o mala volte logo, é muito silencioso sem ele por perto.



Foto do Elvis, tirada numa tarde em que ele se enfiou em todas - todas mesmo - as fotos que tentamos tirar da Erica. Então eu resolvi tirar umas só dele. Sim, ele fez pose para as fotos.

domingo, 19 de julho de 2009

Homem macho

Já levei um fora. Acho até que já levei mais e duvido que alguém aqui não tenha levado. O fato é que eu levei um fora que doeu. Foi um fim de namoro em 1997 (cruzes, estou ficando velha). Enfim, não é do fora que eu quero falar.

O que eu quero dizer é que aquele cara, que namorei por vários meses e que terminou comigo, era um homem com atitudes de macho e que eu tenho sentido muita saudades de homens assim, ultimamente.

Não estou querendo dizer que quero um cara que fique me dando foras, não entendam mal. Eu estava apenas lembrando do quanto eu ficava imaginando o que se passava na cabeça dele, se ele gostava de mim tanto quanto eu gostava dele. Lembrei do quanto eu me sentia segura com ele, ao mesmo tempo que me sentia insegura porque eu queria que ele fosse só meu, com garantia de que fosse eterno.

Ele foi o cara que me tirou do fundo do poço de uma fase de ataques de pânico terríveis que tive.

A gente não se falava todos os dias. Não existia internet e o celular era aquele tijolão que só os ricos tinham (e isso tudo em 1997).

A gente só se via nos finais de semana e, exporadicamente, quando ele precisava passar por Garibaldi durante a semana, passava aqui em casa para me dar oi. Eu adorava isso! Era como encontrar a figurinha premiada do pacote de salgadinho!

Ele tinha os momentos de insegurança dele também, mas o mundo não tomava conhecimento disso, afinal, ele era o cara com o controle da situação.

Tivemos nossas brigas (nada de agressões físicas). Ficamos de mal um com o outro. Ficamos emburrados, um em cada canto do sofá, esperando o outro dar o braço a torcer (isso demorava horas). Lembro de até ter dito que ele estava com a razão, mesmo achando o contrário, só pra poder sentir o abraço forte, grande e seguro dele de novo. O abraço dele era o melhor lugar do planeta, sem dúvidas.

Eu admirava ele e tinha orgulho de estar ao lado dele.

Eu não sinto falta dele, do cara em sí, mas do que eu tinha com ele.

(e agora vem a parte em que eu fico braba)

Porque eu cansei de homens dramáticos! Eu cansei de ter que bancar o macho dos relacionamentos! Eu cansei de escutar "eu te amo" que soa como "bom dia"! Eu cansei de homem que fica ligando e mandando 986882341381029 mensagens por dia! Eu cansei de homem que não aceita um final de relacionamento e que fica magoadinho com qualquer coisa, como se fosse um emo disfarçado ou uma mulherzinha em apuros!!! Também cansei de cenas patéticas de homem que não sabe seguir seu caminho - que não é o mesmo que o meu - e fica parado de tocaia cuidando meus movimentos. Eu estou realmente farta de homem que só entende o recado quando a minha paciência esgota e eu sou obrigada a chegar ao auge da grossura humana!

Sentimentalismo exagerado é coisa de mulher!

Mulher gosta de se sentir protegida e não protegendo! Isso é uma tarefa que ela desempenhará com os filhos. FILHOSSSSSS!

Eu não estou dizendo que homens devam agir como ogros pra provar sua masculinidade, só estou querendo dizer que drama e sentimentalismo demais não pegam bem em homem!

Mas se aguentar um ogro for a única forma, que venha o ogro, então!

Nota do autor: se você, que acabou de ler este texto, for homem, se sentir ofendido e quiser comentar algo desagradável, pense bem antes de escrever e lembre que este blog é meu e que para eu chegar ao ponto de colocar este texto aqui, é porque as coisas passaram do limite do aceitável. Saiba que este texto não é um debate (ou seja, a opinião contrária não me interessa), que estou de TPM e sou vingativa e malvada quando necessário. Obrigada.

terça-feira, 14 de julho de 2009

Post pra Buki



Buki, lembra que eu te falei do Ville Valo? Olha ele ali, com Wicked Game.

Yes, Laura, é pra ti também. Tenho a impressão de que isso te agrada, hehehe!


Bjs

segunda-feira, 13 de julho de 2009

É Rock n' Roll, U-huuu!!! \o/

Eu não falei de Natal, Ano Novo, Carnaval, Páscoa, Dia dos Namorados, nem da Morte do Michael Jackson. Mas hoje eu vou me pronunciar!

Como todos devem saber - todos os seres humanos providos de bom gosto musical - hoje é o Dia Mundial do Rock n' Roll.

Posso começar, lembrando que, se o Rock não fosse tão importante para as pessoas, ele não teria um dia somente para ele. Quantos outros gêneros conseguiram um feito destes?

No início, alguns teimaram que o Rock era coisa do Diabo.

Particularmente, acho que o Rock foi um ato de Deus para fazer as pessoas felizes.

Mas sem querer ficar dando méritos para Deus ou o Diabo, pois cada um teria uma opinião diferente, fica aqui a minha gratidão por todas essas pessoas que resolveram se juntar e formar as bandas que eu amo.

Também agradeço pelas pessoas que montam bandas para tocar músicas boas em bares e garantir a nossa (tá, minha, eu sou tri egoísta quando o assunto é música) diversão.

Porém, mesmo sabendo da importância de Elvis, Beatles, as bandas de Rock antigo - que merecem todo o respeito - eu vou puxar a brasa pro meu assado. Grunge de carteirinha e militante do movimento nos anos 90, hoje, eu não consigo pensar em outra banda cuja existência eu agradeceria.

Meu eterno louvor ao Pearl Jam, minha banda de estimação, que sabe fazer bonito nos palcos e tratar seus fãs com respeito. Muito obrigada por existirem!!!

E Eddie, quando quiser, pode passar lá em casa pra tomar um vinho (sim, vinho... o cara é casado e tem filha né gente, o respeito é uma via de mão dupla, em boca fechada não se vai à Roma... essas coisas, hahaha).

Ainda em tempo: um Feliz Aniversário pro meu colega de trabalho favorito - o Maurão - que teve rabo o bastante pra nascer em 13/07. Mauro, seu trapel, repete comigo, bem rápido: tô limps, tô limps, tô limps, tô limps, tô limps...

Yeah! \o/

sábado, 11 de julho de 2009

Como nos velhos tempos.

Manhã de sábado. Chuva, frio e vento. Saímos do carro na pressa. Pela distância que estávamos da porta da Biblioteca, abrir o guarda-chuva nos molharia mais do que uma corridinha.

Minha mãe queria retirar um livro então, aproveitei a oportunidade para conhecer as novas instalações na nossa Biblioteca Municipal.

Enquanto ela se distraía nas Biografias, eu fui passear entre as prateleiras apenas para ver como os livros haviam sido organizados.

Sempre fui íntima da Biblioteca de Garibaldi. Eu lia tanto que tenho até um diploma de Amigo do Livro.

As coisas mudaram depois que comecei a trabalhar em Bento. A Biblioteca fechava muito cedo e eu não conseguia mais retirar livros. Comecei a compra-los e a organizar minha biblioteca particular.

Com a reinauguração da Biblioteca, surgiram novos horários - ela fecha mais tarde e abre nos sábados de manhã. Então decidi que voltaria a retirar livros - ao menos os livros que não via motivos para comprar.

Enquanto passeava pela Literatura Estrangeira, encontrei os livros da coleção Jardim dos Esquecidos, de V. C. Andrews, que li na época em que nos mudamos de casa. Que saudades!

Passei para o outro lado da prateleira e encontrei quem eu queria: Stephen King.

Eu só ia dar uma conferida se todos os meus velhos amigos estavam por lá, se haviam novidades... Encontrei o livro Carrie, A Estranha e tirei da prateleira. Olhei ao redor para ter certeza de que ninguém estava vendo e... abracei ele bem forte!!!

Carrie foi meu primeiro livro do mestre do terror. Lembro perfeitamente da Vera - que trabalhava na Biblioteca e entendia muito de livros - entregando ele para mim e dizendo que eu iria adorar.  A Vera sabia das coisas!

Coloquei o livro em seu lugar e, ao lado dele, estava o primeiro volume da Torre Negra. Lembrei do Paulo elogiando o livro. Lembrei da Xanda dizendo que a coleção é ótima mas que o final é broxante. Lembrei da pilha de livros ao lado da minha cama, todos esperando sua vez, indignados com o Amanhecer, que passou na frente deles.

E então... quando saí da Biblioteca, protegendo O Pistoleiro com meu casaco, só consegui pensar numa coisa: o cenário estava quase perfeito para a retirada de um Stephen King. Eu só teria trocado a manhã de sábado por uma noite qualquer. Com chuva. Com frio. Com vento.

E os outros que aguardem, de novo.

039

 

 

sexta-feira, 10 de julho de 2009

I am more I

*Título em homenagem ao e-mail que recebi da Bibi, que já lí mil vezes e continuo achando engraçadíssimo!


Com a tesoura aberta e encostada nos meus cabelos castanhos, presos em um rabo, ela perguntou:
- Posso cortar?
- Aieee! - Foi a minha duvidosa resposta.
- Tu ainda pode desistir, mas se eu fosse tu, cortava. Duvido muito que tu te arrependa.

Então eu lembrei do meu ex-namorado, que odiava pensar que eu queria cortar o cabelo e no quanto eu queria que ele não olhasse mais na minha cara.

- Só se for agora, então. Corta!

Ela cortou. Um chanelzinho com as franjas mais compridas. Eu tinha 17 anos e, desde então, eu defendo a teoria de que o cabelo curto deixa as mulheres mais independentes.

Só quem já cortou ele curtinho sabe a sensação de liberdade que ele nos proporciona.

Eu, por exemplo, sei que meus conflitos internos podem ser resolvidos por uma tesoura. É batata, conforme ele cresce, eu vou me sentindo presa, submissa e Amélia demais. Cortar o cabelo, para mim, é como massagear a alma e mandar a auto-estima lá pra cima.

Sem falar na economia de shampoo e no quanto lavar e secar os cabelos se torna uma atividade rápida e prazerosa!

Enfim, ainda não tenho foto do cabelo novo, mas acho que vcs já adivinharam que eu andei cortando né?! Hehehe... ficou tão powerrrrr!!!

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Já é Dia do Rock de novo?

O tempo passa, hein?! Quando tu vê, já é Dia do Rock de novo...

E eu fico bem triste em saber que não vai ter nenhuma comemoração em Garibaldi...

Sei de uma banda cover do Kiss em Bento, no Bangalô, mas esse lugar não tem moral pra comemorar uma data importante como esta. Imaginem uma casa noturna onde toda a semana tem a tal SextaNeja, querendo se aproveitar do Dia do Rock pra ganhar uma grana. Não de mim.

Dia do Rock a gente comemora em lugar que se preze. Roqueiros não aceitam qualquer coisa.

Mas a minha esperança ainda não terminou! Ainda vou encontrar um lugar digno de comemoração!

Se souberem de algum lugar legal para ir, me avisem!

\o/ Long live Rock n' Roll!!! \o/

terça-feira, 7 de julho de 2009

Adoro inverno.

Mas chuva... aí depende. Se for pra ficar em casa, eu adoro, se for pra sair de casa, eu odeio.

Agora imaginem eu, que faço de tudo para evitar pegar uma chuva, enfrentando a maior água! Qual seria o motivo?

Adivinhou quem pensou "comida".

Adivinhou mais ainda quem arriscou "panqueca de espinafre com ricota".

Por ela, eu desisti de pedir um xis. E valeu a pena!

Lembro de um rápido diálogo, assim:
- Tu tem medo de andar de carro comigo? - Perguntei.
- Só quando tu tá com fome.

:)

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Em época de vampiros e lobisomens, eu me pergunto da onde surgiu o Tiranossauro Rex que bagunçou toda a minha linda, esperada e necessária noite de sono!

Tá, tudo bem, eu sei que ele estava dormindo profundamente em algum lugar no terreno do antigo Colégio Irmã Teofânia (para o qual os fundos da minha casa tem vista), mas isso não dava a ele o direito de me incomodar a noite toda!

E de me deixar com medinho de sair de casa pela porta de trás, hoje de manhã... :/

Daquelas que ainda dá uma olhadinha na casinha do cachorro pra ter certeza de que ele não virou lanche de dinossauro durante a noite...