domingo, 31 de maio de 2009

Não diga que eu não avisei.

013

Olhe para esta foto. Mas olhe BEM. Porque eu aposto que você esta pensando que são apenas duas torres de alta tensão.

Pois bem, você se enganou.

É tão difícil assim, perceber que são dois alienígenas do mal, fingindo que estão apenas sustentando os cabos, como se fizessem um grande favor?

Eles tem chifres, braços, pernas e sobrancelhas malvadas! Esta na cara que são problema!

Eles estão por tudo. Onde menos se espera, lá esta um, bancando a torre de energia, seja numa bela paisagem plana ou no topo de um morro (daonde eles conseguem ter uma boa visão de tudo). Muito bem distribuídos, os espertinhos.

Um dia essa tranquilidade vai acabar. Provavelmente no dia em que eles tiverem todas as informações sobre a eletricidade e sobre o comportamento humano de que precisam.

Neste dia, haverá uma grande onda de energia elétrica invadindo casas, lojas, escritórios, enfim, todo local onde há eletricidade. As pessoas próximas aos aparelhos morrerão eletrocutadas. Quem sobrar, será punido mais tarde.

E assim eles terão toda a energia do mundo para se alimentar, sem ter que dividir ela com nin-guém!

Ééééé...

PS: agradeço à Buki pela disposição em tirar esta foto enquanto eu parava o carro no desvio do pedágio de Farroupilha.

domingo, 24 de maio de 2009

Não vou usar.

Próximo sábado é o último dia do curso de fotografia.

Então... o curso está sendo bem legal, mas bastante cansativo. O único ônibus que chega a tempo do curso, sai de Garibaldi às 5:30 - sim, da manhã. Imaginem que há dois sábados, estamos acordando em plena madrugada de sexta para sábado. Eu normalmente ainda nem teria ido dormir, mas atualmente, estou acordando!

Tentamos dormir em Poa na primeira semana, mas ninguém dormiu e os gastos foram maiores, então, vamos sofrer. Mas só mais um sábado!

De qualquer forma, aqui está uma foto das que tirei para a nossa próxima apresentação. São várias fotos com significados e temos que apresentar apenas 10. Essa não é uma das 10. Mas eu gostei dela mesmo assim, então, vou botar aqui.

E por enquanto é isso... vou dormir porque ainda não me recuperei de ontem!


PS: essa foto como fundo de tela do note ficou maravilhosa!

quarta-feira, 20 de maio de 2009

9 anos!


Hoje é aníver da Giggia!!!

Eu sei que ela não vai ler esse post, bichos não costumam acessar a internet. Mesmo que ela quisesse, meu note tem senha e ela não sabe, rá!

Pra quem não sabe da história da Giggia, aqui vai um resumo:

No dia 20 de Maio de 2000, meu irmão escutou alguns miados que vinham do forno à lenha. Como a casa em que moramos era a casa da minha avó, que foi reformada, ainda tínhamos um daqueles fornos à lenha, grandes, no pátio de casa.

Uma gata havia sido abandonada prenha e foi ter seus filhotes lá, dentro do telhadinho do forno.

Eram 4 filhotes. Não, na verdade, eram 4 e 1/2, já que um deles havia sido devorado e, quando meu irmão puxou ele, só veio 1/2 gato. Mas não vamos entrar em detalhes mórbidos, digamos qu eram 4 filhotes e a gata mãe.

O tempo passou, conseguimos doar os gatos, mas sobrou a Giggia. E ela foi ficando, ficando... minha mãe não deixava ela entrar em casa porque, supostamente, ela não ficaria lá, então, era melhor nem se acostumar.

O caso é que ela ficou.

Já que o jeito era se acostumar com a ideia de ficar com ela, tivemos que escolher um nome e Giggia ficou perfeito porque ela comia muita massa e galeto, hahaha.

Como ela não era acostumada em casa, também ficou um pouco mais selvagem do que os gatos normais.

Com 4 mêses de vida, ela ficou prenha. O veterinário não acreditava, veio com um papo de que eram vermes. Então ela teve 7 verminhos, digo, gatinhos.

Destes 7 gatinhos, 4 sobreviveram. Mas sobreviveram por algum tempo, porque uma gang de gatos, numa noite quente de verão, matou todos os filhotinhos. Foi terrível.

O acontecimento deixou a Giggia desolada, então, começamos a acostumar ela dentro de casa.

Depois ela teve mais uma cria, que foi uma escapada dela, no mês em que esquecemos de dar a vacina anticoncepcional (rápida ela, não?).

Castramos a Giggia, então, e com o passar dos anos, ela tem ficado mais sociável.

De todos os gatos que já tivemos, a Giggia é a mais legal. Ela tem alta personalidade e não fica se esforçando pra agradar ninguém. Ela faz o que quer, manda em todo mundo, mas eu não trocaria ela por nenhum outro gato. Ela é, realmente, o tipo de bicho que sabe muito bem o que está se passando ao seu redor. E ela se aproveita muito disso.

O que me preocupa é que, a Giggia tendo 9 anos, não deve durar mais muito tempo e isso me deixa triste. Vou aproveitar melhor meu tempo com ela - não que eu já não aproveite...

Mas enfim agora vcs já conhecem o básico da Giggia.

E hoje ela vai comer wiskas especial de sachet!

segunda-feira, 18 de maio de 2009

E se?

E se a segunda-feira sumisse, o que será que aconteceria?

O mundo foi dormir no domingo, com todos os planos preguiçosos da segunda-feira, mas quando acordou, já era terça-feira!

O que será que aconteceria?

Os planos da segunda-feira estariam resolvidos? Aquela reunião já teria acontecido? A dieta já teria começado? O cartão-ponto já teria sido marcado?

Ou então, tudo teria ficado pendente por causa do rombo de um dia na semana? A reunião não teria acontecido e deveria ocorrer, independente dos planos da terça? O cartão-ponto não teria sido marcado e as empresas teriam que fazer uma reunião extra pra ver se consideravam ou não este dia inexistente como dia trabalhado? A dieta teria começado? Porque, na real, nem sempre se promete começar dieta na segunda e isso acontece mesmo...

O que será que aconteceria??? :/

Será que alguém veria o que aconteceu na virada do domingo pra... terça-feira? O relógio correria 24 horas? A terra tremeria? As pessoas ficariam paralisadas num espaço de tempo de um dia e só acordariam na terça???

Será que aconteceria de novo? A humanidade ficaria sem segunda-feira para sempre? Os dias sumiriam um a um, até o tempo acabar???

Deu pra perceber que eu não faço questão da existência da segunda-feira né?

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Uma vez na vida

Ontem eu lí no terra, que Bon Jovi e U2 podem fazer shows no Brasil, neste ano.

São poucas as bandas que conseguem me fazer sair do Rio Grande do Sul por um show. Bon Jovi não é uma delas e U2 já foi. Sim, foi, porque a minha paciência para shows do U2 esgotou!

Amei o show, foi tudo muito emocionante, mas o stresse que passei para conseguir os ingressos foi tanto - e acabei indo para Buenos Aires porque não consegui São Paulo - que não vou levantar um dedo para tentar ir novamente.

Até porque, o último cd não merece esse esforço.


Desculpa aí, Bono. Nada pessoal, ainda adoro a banda, mas vcs me cansaram!

PS: Jana, lembra do Jon Bovi? Hahaha!

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Oh baby please... Give a little respect... to me!!!

Eu sei que tem gente curiosa no mundo. Eu já presenciei atitudes inacreditáveis de curiosos tentando descobrir desde seu amigossecreto até sua festassurpresa (tem certeza de que é assim que se escreve agora?).

E eu descobri o que mais deixa os curiosos loucos. Os não-curiosos!

Imaginem uma pessoa curiosa, dizendo ao não-curioso, que comprou um presente pra ele e não vai dizer o que é. A conversa seria mais ou menos assim:

Curioso - Bah, tu nem sabe, já comprei teu presente de aniversário! É a tua cara!!! Massss... é sur-pre-sa!!!

E nesse momento ele se encolhe, rindo de felicidade, pensando que a palavra "surpresa" vai torturar a pessoa de vontade de saber o que vai ganhar, usando todo o tipo de chantagem para que ele conte o que é. - Igual ao que ele faz quando a surpresa é pra ele. - Mas o que acontece é mais ou menos o que segue:

Não-curioso - Sério? Que legal!!!
C - Tá, tu não vai perguntar o que é?
NC - Não, né... é surpresa. Eu vou esperar.

O coração do curioso para e ele murcha como uma flor de desenho animado, que acaba de receber a visita de um gambá.

C - Mas tu não vai querer MESMO, saber o que é?
NC - Não! Eu gosto de surpresas!
C - Já sei, tu acha que eu vou te dar uma porcaria né? Que eu não sei escolher presente pra ti!
NC - Nada a ver, eu só curto esperar a surpresa! Até porque, surpresa deveria ser aquela coisa que a gente só fica sabendo na hora, sabe...
C - Tá, mas ao menos tenta adivinhar o que é!
NC - Mas aí não vai ser surpresa e não vai ter graça!
C - Mas só uma tentativazinha, vai!!!
NC - Tá bom... é uma frigideira! - Aqui entra a variação de tentar adivinhar as coisas que ele realmente não vai dar, só pra entrar na brincadeira e não perder o amigo.
C - Rá, nem de perto!
NC - Viu? Por isso que eu prefiro esperar! É tão legal esperar!!!
C - Que sem graça que tu é!

É sempre assim. O não-curioso - e eu digo porque sou um deles - acaba sofrendo mais que o curioso. Como? Simples. O curioso não se satisfaz e fica provocando até o último minuto! Usa de qualquer motivo pra tentar deixar a pessoa com vontade de saber o que vai ganhar, de quem vai ganhar, ou o que vai acontecer no livro Amanhecer, que ele ainda não leu a versão pirata da internet, porque está esperando a original chegar na livraria!!!

Será que é tão difícil respeitar a vontade de uma pessoa que curte esperar o momento dos acontecimentos?

Podem ficar tranquilos, o não-curioso não está menosprezando o presente, ou o que quer que seja. Está apenas degustando o tempo até que chegue o dia do acontecimento. Para ele, isso é diversão! O conceito de diversão, como todos sabem, varia de uma pessoa para outra.

Então, queridos curiosos que passam por aqui, antes de magoarem um amigo (sim, isso magoa - com direito a escutar pedido de desculpas e tudo o mais), estragando o prazer dele em esperar as coisas acontecerem no curso normal dos momentos da vida, por favor, pensem um pouquinho nos benefícios de manter o bico fechado. Afinal, se vocês não aguentam esperar, isso deveria ser apenas um problema de vocês. Só de vocês.

terça-feira, 12 de maio de 2009

Tesourinho

Quando comecei a conhecer melhor a Rê, ela me induziu a assistir Friends. Melhor ainda, ela emprestou os dvds da coleção dela. Ela tinha a maior parte da coleção original, apenas a terceira e a quarta temporadas eram gravados e, estes, não consegui rodar no aparelho lá de casa.

No último sábado, durante a viagem minha e da Buki de retorno para a nossa cidade (o curso de fotografia, lembram?) comentei sobre as temporadas não assistidas e ela, que também possui a coleção, disse que emprestaria.

No meu último suspiro do sábado, quase desmaiando de sono por não dormir desde a madrugada de quinta para sexta-feira, consegui pegar os dvds e levar para casa.

É tão divertido chegar em casa e poder assistir episódios de Friends que não conheço, que, provavelmente, meus blogs, orkut e e-mail fiquem abandonados até segunda ordem.

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Xixi no banho!

Saiba porque é fazer xixi no banho é legal e deixe sua mãe sem argumentos para xingar!

Afinal, você só está tentando ajudar a salvar a Mata Atlântica!

OBS: liguem o som que a musiquinha é ótima, hahaha!

quarta-feira, 6 de maio de 2009

As mães, de novo!

Eu estava na 4ª série e a minha especialidade era desenhar cavalos. Na verdade eu desenhava de tudo, mas os cavalos eram o tchan da coisa. Todo mundo me conhecia porque como 'a guria que desenhava cavalos' (muita gente nunca esqueceu disso, inclusive).

A professora de Educação Artística nos colocou em duplas para a produção do cartão de Dia das Mães daquele ano.

Então o colega que estava sentado comigo, que eu adorava porque me faziar rir muito, pediu:

- Manô, faz um cartão de Dia das Mães pra mim? Tu sabe que eu desenho mal!

- E o que tu quer que eu desenhe? - Perguntei.

- Um cavalo né! - Respondeu ele. (Óbvio, um cavalo né!)

- Um cavalo? Mas é dia das mães, como é que tu vai dar um cartão com um cavalo? - Questionei ele.

- Ah, eu me viro! Tu faz? Porque mesmo sendo um cavalo, ao menos vai estar bonito! - Insistiu ele com aquela cara de pobre coitado.

- Tá bom, faço sim! - Me rendi.

E fiz o desenho. Era uma cabeça de cavalo meio de lado. As crinas caiam para a esquerda, onde estava a dobra do cartão. E ele era recortado no formato da cabeça do cavalo, claro. Porque o detalhe é o que conta!

Entreguei o cartão para ele e, minutos depois, ele me mostrou o que havia escrito.

"Mãe, a Sra. deve estar se perguntando por quê o cartão é um cavalo, mas pensa bem, poderia ser um tomate... uma cenoura... então achei que o cavalo ficaria melhor!"

Adorei!

Quantidade não é qualidade

Lembrei disso lendo esta reportagem do Terra, sobre os músicos que nunca chegaram ao topo dos discos mais vendidos dos Estados Unidos.

Mas como diz o título, quantidade não garante qualidade e, com o que tenho escutado por aí, é até melhor que essas bandas - a maioria ótimas, por sinal - não cheguem ao topo. Pelo simples fato de que não precisam provar que sua excelência através de números.

segunda-feira, 4 de maio de 2009

03 bons motivos para assistir Wolverine










Na boa... esse filme foi feito pra mulherada, hahaha!Alinhar ao centro

Dia das mãmis chegando...

Este ano eu queria fazer algo diferente, criativo.

Meus irmãos e eu sempre caímos no tradicional presente do Boticário ou Natura. Não que sejam ruins, mas são apenas presentes comprados, que não exigem muita dedicação na escolha.

Então eu estou catando algo mais artesanal e simples. Encontrei algumas boas ideias no site da Martha Stewart, mas estou tentando considerar algo que:

1 - Não chame muita atenção no preparo;
2 - Algo que, de preferência, eu possa fazer no meu quarto e consiga esconder até domingo;
3 - Não precise ser comprado ou preparado no sábado.

Até agora, encontrei umas rosas de papel crepon bem legais e sabonetes em formato de cubos de gelo. Vou ver se encontro os materiais.

E vocês, vão preparar algo especial para elas?