segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Caveiras e Butiás




Até pouco tempo, quando alguém chegava para mim e dizia "Manô, lembrei de ti!!!", haviam duas alternativas:



1 - A pessoa teria encontrado uma aranha em algum lugar;



2 - A pessoa teria visto algo relacionado ao Pearl Jam (nessa, lembro de uma ligação direta dos Estados Unidos, de um amigo que gosto muito, dizendo: Manôôô, tá passando um especial do Pearl Jam! Lembrei de ti! - quase chorei).


Mas ultimamente uma algo diferente tem acontecido - surgiu uma terceira alternativa: caveiras!


Eu sempre adorei caveiras, mas nunca encontrava artigos, roupas, nada que tivesse este motivo. Com essa modinha rock n' roll, isso facilitou bastante - e eu, bem rock n' roll ('ela consegue usar essas roupas e ficar tri!' - disse um colega, no inverno passado) me larguei nas caveiras!!!



Um dia, eu usava a bolsa com estampa de caveira... outro dia, a blusinha com estampas de caveira... aí, variava pro meu colarzinho de caveirinha meiga.



As pessoas notaram... a coisa tomou proporções inesperadas! Ultimamente, quando eu menos espero, aparece alguém com um presentinho de caveira pra mim! Já ganhei um colar lindo, meias, lenços de papel, cinto, lenço de pescoço, duas regatas e uma camiseta que amo e um ornamento de mesa mto legal!



Os últimos itens, porém, fizeram cair meus butiás do bolso: a nossa recepcionista me deu um chaveiro de caveirinha pque viu e lembrou de mim (está pendurado na bolsa com formato de guitarra que ganhei da minha colega q adoro!). E o Maurão - meu colega que é praticamente um irmão (sem querer rimou) - se deu o trabalho de, lá em Manaus, fotografar as caveiras que fizeram ele lembrar da sarna que vive pentelhando ele no dia-a-dia (eu, claro). São essas as fotos que enfeitam o post de hoje.


Essa coisa de ser lembrada por algo que gosto muito*, assim, sem motivos especiais, me deixa sem palavras. Porque não é o valor do presente. Na verdade não é nem o presente (embora eu adore e podem continuar dando caveiras e etc). O que vale é a intenção e o peso que vem com ela. É o simples fato de ter sido lembrada.



(Logo, penso eu, que alguém que me odeia, não me daria algo que eu adoro, então, quem está me presenteando, no mínimo, vai com a minha cara.)



Quero aproveitar o espacinho aqui para agradecer e deixar um estrucão bem forte em todos que já derrubaram meus butiás!


-> OBS: Essa foto também entra no post pque tem uma forte história no passado: quando eu tinha uns 9 anos, jurava que ia casar com o Slash. A Jana (Jana Rose) lembra disso muito bem!


(photo by Mauro em Manaus - se sesse de ir trabalhar?)


*Importante!!! Não gosto de aranhas.

Ass: Manoela Pieta Lorenzi Hudson (mazááá)

domingo, 24 de fevereiro de 2008

A União Faz a Força


Essas formigas subiram o muro carregando o Pingo D'Ouro para os mantimentos de inverno!
(e a cigarra, estaria cantando?)

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Into the Wild

Ontem uma notícia tirou meu ar: Eddie Vedder em turnê solo. Cliquei no link, só pra ter certeza de que veria a mensagem de 'página proibida' - normal em empresas. Bingo pra mim!
No momento pensei: Não, não pode ser, a fama não pode ter subido a cabeça dele e ter tornado ele um... UM NORMAL QUE SE VENDE FÁCIL!!!


Felizmente, hoje consegui ter acesso à notícia, que explicava o motivo de tudo e acabava com meus temores: Into The Wild.
Filme baseado em um livro do jornalista Jon Krakauer (que já comprei pra ler antes de assistir) cuja trilha sonora é praticamente Eddie Vedder e sual linda, calmante e aveludada voz, que me faz tão bem! Ele sairá em turnê solo em parte dos Estados Unidos, para a divulgação do filme que trata, em resumo, de um rapaz que pega a mochila e se joga na estrada.
O final da notícia dizia, inclusive, que depois disso, ele volta com a banda para o estúdio, afim de produzir o novo disco da banda. Hihihi! Isso me fez tão feliz!!!

Feliz pela banda, pelos fãs e feliz em saber que, apesar de tudo o que se vê, tem mais gente que mantém seus princípios!
"I don't want to take what you can give...
I would rather starve than eat your breast...
All the things that others want for me...
Can't buy what I want because it's free..."
Corduroy

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

"Pequeneza" de Espírito

Penso diariamente no poder que algumas pessoas possuem de ser desagradáveis, de se esforçar para estragar o dia dos outros. E de propósito.

Aquela sensação de coisas que deveriam ser ditas e não foram (para evitar a fadiga, como diria o Jaiminho), acabaram estourando numa dor de garganta. Isso é mau. E não vai durar.

Quem me conhece sabe que a minha paciência é grande mas tem limite. Até digo que ela já foi maior do que ultimamente. E nem quero ver a hora em que eu perder as rédeas...

Talvéz eu não perca, porque sei que tudo o que fazemos de mal para uma pessoa, volta em triplo. E hoje eu disse: "Aaaah como eu quero estar viva pra ver tudo isso voltando!"

Pentelhar os outros dessa forma faz parte do que chamo de 'pequeneza' de espírito, de pobreza de alma. Bens materiais não são nada, babe! Eles realmente não possuem todo esse valor! Vale muito mais ter algo que preencha tua cabeça e que te permita ter conversas interessantes com as pessoas.

Essa semana eu vi a humildade sair correndo sem dar tchau... porque a pessoa que é realmente humilde, jamais anunciaria ser.




Banho de sal grosso... lá vou eu!

(texto propositalmente escrito em cor de caganeira)

domingo, 17 de fevereiro de 2008

Purificando – Banho de Ervas



Tem algumas coisas nas quais eu acredito e sei que me ajudam. Uma delas é fazer banho de ervas.



Curiosamente, sempre que digo que é bom, alguém me pergunta que ervas uso, quais os significados e como o banho deve ser feito. Então aqui vai.



Não é preciso ter banheira em casa e o preparo é bem simples:



1 – Escolhem-se as ervas de acordo com a necessidade (ver lista abaixo);



2 – Coloca-se as ervas em um vidro (se tiver tampa é até melhor) e coloca-se água quente sobre elas (se possível não deixe a água ferver). Feche o vidro e espere a água ficar morna (não me responsabilizo por queimaduras de quem não entender isso);



3 – Depois do banho normal (agora vem a parte engraçada, mas faz parte do ritual), fique de cócoras (ou agachado, que dá na mesma) e de costas para a rua. O banho de ervas deve ser derramado no corpo, dos ombros para baixo.



4 – Jogar o resto das ervas em água corrente (ou seja, na privada!).



Aqui está a lista com as ervas mais fáceis de encontrar (quem mora em apartamento vai sofrer um pouco mais para encontrar, creio eu):



§ Alecrin – clareza mental (melhorar as idéias);
§ Anis Estrelado – auto-estima (o cheirinho é ótimo – deve ter na parte de chás dos supermercados, parece uma estrelinha);
§ Canela – limpeza, força e prosperidade;
§ Cravo – estimulante;
§ Erva Doce – energias positivas;
§ Folhas de Limoeiro – cortar as energias negativas;
§ Hortelã – aceitação;
§ Manjericão – equilíbrio, renova as células do organismo (eu amo – tenho um de estimação);
§ Folha de Pitangueira – melhora a circulação;
§ Sálvia – rejuvenescimento.



OBS: Pode-se misturar mais de uma erva nos banhos.



-> Banho de sal grosso também é bom. Fazer da mesma forma que o de ervas.



Eu acredito e funciona.

sábado, 16 de fevereiro de 2008

O Louco


"Um dia, um cão sábio passou por um grupo de gatos e ouviu um deles dizer: 'Irmãos, orai; pois quando tiverdes orado e orado, sem dúvida, decerto choverão ratos.'


O cão riu-se no seu íntimo e afastou-se, dizendo: 'Ó gatos cegos e tolos! Como se não estivesse escrito e eu não tenha sabido, e meus pais antes de mim, que o que chove, com rezas e fé e súplicas, não são ratos, mas ossos!'"

Gibran

-> Participação especial: Giggia e Elvis

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

Dia de Crise


Ela acorda e sente uma dor tremenda nos olhos. Levanta e pega o colírio em sua bolsa ornamentada com vários bottons e uma estampa de caveira brilhante. Ela adora estampas de caveira e seu bottom favorito, sem dúvidas, é o de um bonequinho conhecido como Stickman, símbolo de sua banda preferida: Pearl Jam.

Mas isso não vem ao caso no momento. Ela pisca os olhos, na esperança de que a dor seja passageira, apenas fruto de seus olhos ressecados.

A dor não passa.

A dor piora.

Agora sente a dor por toda a cabeça. Ao colocar o colírio em sua bolsa, reconhece pelo tato a cartela de Neosaldina deixada lá para essas ocasiões. Ela herdara as crises de enxaqueca de sua mãe.

Toma uma Neosaldina e aguarda. Caminha pela casa. 25 minutos se passaram e a dor só piorou. Ela não lembra de ter sentido dores tão fortes em suas outras crises.

Vendo que o remédio não surtira efeito, ingere mais um comprimido. A dor profunda na região dos olhos e cabeça é acompanhada por uma fraca náusea, que aumenta drasticamente assim que ela tenta deitar para amenizar a dor.

Então ela volta a sentar em sua cama de colcha macia e desenhos infantis e apóia a cabeça nas mãos. Não consegue respirar direito e sente muita vontade de chorar. Porám, chorar aumentaria a dor em seus olhos e trancaria suas vias nasais. A sensação era de estar vivendo um pesadelo.

Ela procura os motivos da dor e logo imagina que seria reação da tinta de seus cabelos, agora ruivos. Sente o odor da tinta, ainda presente, e a náusea aumenta. Prende os cabelos para evitar maiores estragos.

Então uma breve cena da noite anterior passa em sua memória: ela estava na sala, ajudando sua mãe a dobrar os lençóis, comendo os pequenos chocolates trazidos da viagem de seus pais ao Peru. Ela comenta com sua mãe:
- Mãe, olha que coisa boa, comi estes chocolates ontem e não me deram dor de cabeça!!!

(Olha mãe, sem as mãos!!!)

- É – pensa ela – podem ter sido aqueles (10? 20?Mais?) chocolates de ontem.

Ela avisa seu colega de trabalho para não esperar por ela, pois ela estava aguardando o efeito dos remédios para poder ir trabalhar. Já estava vestida, na tentativa de poupar tempo.
E o tempo passa, mas a dor persiste.

Ela pede para seu pai levá-la ao hospital.

E, em seus 27 anos de vida, vez seu primeiro soro. Por causa de uma enxaqueca.

Deitada na maca da sala de observações, nem se importa com a picada da agulha. Vale qualquer coisa para passar a dor.

Ainda sentindo-se em outra dimensão, consegue ligar para sua colega e avisar sobre o ocorrido. Pede para passar o recado aos chefes.

- Pode ficar tranqüila Manô, eu digo pra eles que te encontraram caída numa valeta ao lado do Joe.
Ela consegue rir. Mas para pois lhe falta ar. Sente calafrios e a boca muito seca.

Os minutos passam e com eles a dor. Resta apenas uma tontura chata.

E a certeza de que ela não foi feita para comer chocolates.

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

I awake to see that no one is free
We're all fugitives
Look at the way we live
Down here, I cannot sleep from fear no
I said, which way do I turn?
Oh I forget everything I learn

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

De hoje em diante

Eu tinha escrito à mão durante os dias em que não pude chegar até o blogg. A idéia era postar, mesmo que tarde.
Agora penso diferente: o passado foi. Começo hoje e devo atualizar com maior frequência. Sem muita coisa para dividir no momento, já que estou um pouco parada. Temporariamente. Tendo a sair da inércia em breve. Só preciso me dar um tempinho longe de tudo. Colocar as idéias no lugar, coisa que deveria ter feito há bastante tempo. Mas não se enganem, nem se preocupem: estou curtindo bastante em modo stand by. Observando tudo com atenção. Me observando com atenção.

Mas a semana começou bem, com uma surpresa ótima, que melhorou bastante as coisas para mim. Além disso, meus pais voltaram de viagem e foi um alívio... não desmerecendo o resto da família, mas como não era eu quem estava no comando, esperei ansiosamente o retorno dos donos do barco. A paz reina novamente!
Agora posso dedicar mais do meu tempo pensando se devo mesmo vender o ingresso do Iron pra ver Doors... dúvida cruel.

terça-feira, 5 de fevereiro de 2008

Atenção mulheres!!!!

Se, por acaaaaso, acontecer de vocês trancarem o carro com a chave dentro, ou situações similares (fechar o porta-malas deixando a chave com as sacolas de compras), lembrem:

É SÓ LIGAR PARA O SEGURO!!! É rápido, eficiente, e de graça!!!!

Sério mesmo... nestes momentos que a gente pensa em como foi útil ter se enforcado pra pagar o seguro!!!

Aproveito para agradecer a Taísa, que é meu contato do seguro (na Pasqualotto - olha a propaganda!), minha amiga e fez tudo funcionar perfeitamente!!! Bjos querida!